Este blog partilha informação sobre o homeschooling e o unschooling - ensino doméstico ou educação domiciliar. Para navegarem o site, usem os links acima e, para os posts de 2011, o botão da pesquisa na barra direita. Facebook: Aprender Sem Escola Email: aprendersemescola@gmail.com

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Aprendizagem autónoma no ensino doméstico

Ensino doméstico? Aprendizagem autónoma? Confuso?

Gosto muito desta explicação e por isso resolvi traduzí-la para partilhar com vocês. Como Gill Kilner explica, quando se pratica o ensino doméstico segundo o método da aprendizagem autónoma:

"Há pelo menos um adulto, o pai ou a mãe, sempre disponível para ajudar as crianças a aprender, quando estas pedem ajuda;

A aprendizagem é totalmente liderada pela criança e o adulto responde aos interesses da criança sem exigir determinados resultados;

As necessidades educacionais que a criança expressa são satisfeitas. Isso significa acesso a livros, internet, software, equipamento, bibliotecas, museus, cursos, tutores, etc., sempre que a criança manifesta desejo por tal;

Tanto quanto possível, a criança está consciente dos pontos e opções acima referidos;

A aprendizagem pode ocorrer a qualquer hora, em qualquer lugar, de inúmeras maneiras, e não está restrita a uma área, sala, casa ou edifício. Ocorre em todos os momentos que a criança passa acordada, por isso é verdadeiramente a ‘tempo inteiro’;

Assim, a educação é diferenciada e personalizada, indo de encontro à individualidade única de cada criança;

A criança aprende apenas em função dos seus interesses e por isso ela está sempre totalmente engajada e dando o seu máximo;

O desejo de aprender da criança pode ser prejudicado pela exigência de trabalhos e de demonstrações de progresso;

Normalmente a aprendizagem não é dividida em disciplinas e competências, pois estas desenvolvem naturalmente à medida que a criança sente necessidade delas;

A aprendizagem flui naturalmente, com períodos de descanso e reflexão passiva, ou seja, períodos de processamento de conceitos e ideas geralmente ocorrendo após períodos de maior actividade;

Graças ao constante e próximo acompanhamento por um familiar, 'trabalhos' por escrito (ou em qualquer outro formato) não são necessários no processo de avaliação. Por esta razão a ausência de 'trabalhos' escritos não significa ausência de aprendizagem;

O processo de aprendizagem pertence completamente à criança e, como tal, quaisquer trabalhos (caso existam) pertencem à criança e não aos pais;

Em geral, o progresso não é tão previsível ou regular como no ensino escolar. Às vezes pode ser muito rápido, outras vezes muito lento, dependendo da criança e da fase do processo;

A criança tem oportunidades para socializar e é livre de escolher como e quando isso acontece."

Sem comentários: