Este blog partilha informação sobre o homeschooling e o unschooling - ensino doméstico ou educação domiciliar. Para navegarem o site, usem os links acima e, para os posts de 2011, o botão da pesquisa na barra direita. Facebook: Aprender Sem Escola Email: aprendersemescola@gmail.com

sábado, 24 de janeiro de 2009

O que temos andado a fazer

Ontem lá fomos outra vez ao Sítio de Aprender, onde a comunidade de educadores domésticos se reune semanalmente.

Esta foi a única foto que encontrei na internet, é pena não mostrar o parque onde o edifício se encontra, as crianças correndo e brincando, os adultos bebendo chá e trocando ideias, os adolescentes conversando e as famílias aprendendo juntas...

Aqui por casa o interesse pelos desenhos animados japoneses, ou animê, continua, Bleach e Naruto sendo as séries preferidas. Esse interesse vai-se expandindo para outras áreas, como por exemplo as histórias aos quadradinhos japonesas - mangá.

Ontem, por exemplo, devorou estes dois livros. O mangá e o animê são verdadeiras formas de arte. Reparei no tempo que passou com o livro abaixo à esquerda e sugeri: que tal experimentarmos a desenhar Ichigo?

No papel ou computador?

Computador, é claro!

Que software precisamos?

Manga sudio ou corel painter?

Depois de darmos uma olhada nos dois resolvemos instalar corel painter...

Falando em computadores, o dele teve um health check e tem uma placa gráfica nova. Alegria! Ficou com vontade de aprender a diagnosticar e reparar problemas nos computadores e ando agora a ver se encontro um cursinho para ele fazer, num colégio ou à distância através da internet.

Mas voltando ao tema dos desenhos animados, ou seja, ao tópico de levar os interesses das crianças a sério, sem os dividir em "educação" e "brincadeira" ou "passatempos", reparem como o animê levou à arte digital, a novos programas de computador e às artes marciais, que parecem ser uma constante - daí termos ido os dois fazer kick boxing. Havemos de ir a mais uma ou duas aulas mas andamos a pensar experimentar aikido...

O interesse pelo japonês também veio dos animê: já completámos a lição 9 e continuamos a usar jogos educacionais para aprender, como por exemplo este, para aprender as partes do corpo, e este para aprender direcções.

Mas também nos entretemos com inglês - revendo aspectos da gramática, como o uso das vírgulas -, e matemática, fazendo exercícios de multiplicação mental.

E que mais? Ah! amizades: a amiga dele veio cá passar uma tarde no fim de semana passado e ontem conhecemos cinco adolescentes que também aprendem em casa. Além disso, continuamos fotografando. Aqui está uma foto tirada pelo Daniel:

E eu? Experimentei biodança, adorei e hei-de lá voltar. A biodança já chegou a Portugal, por isso experimentem que vale a pena! Além disso, andei a filmar, tivemos uma aula de chi-kung aqui em casa e fui a uma sessão de meditação. Experimentei uma receita do Médio Oriente, lentilhas com espinafres e cominhos - estava uma delícia!

Ah, como a vida é bela quando somos livres para aprender o que queremos, quando queremos, onde queremos, com quem queremos!

3 comentários:

Lara Gisela disse...

Foi muito bom ler a tua descrição sobre o que têm andado a fazer. E sinto o mesmo que tu: como a vidaé bela, tanto para fazer e aprender.
Beijocas e uma excelente semana

*Lisa_B* disse...

Querida amiga Paula

Ah como eu queria...se queria poder suspirar como tu e dizer como vida é bela quando podemos ensinar um filho dessa forma...

Estou com um processo no tribunal como penso que já sabes, porque não permiti que o meu filho continuasse a ser vitima de bullying na escola e agora passou para a justiça, entregue pela comissão de prot. de menores.

Achas que a protecção o está afazer P atirado-o para o meio das feras que o destruíram?

Por isso suspiro ainda acreditando que o tribunal seja mais ponderado neste caso do que as outras entidades, caso contrário vão ver-me em muitos jornais e Tv's.

Boa continuação de felicidade para ti e teus amiga.

Tibetan Star disse...

Que injustiça, nem sei o que dizer...

Não podes processar a escola, a DRE, e a comissão de prot. de menores?