Este blog partilha informação sobre o homeschooling e o unschooling - ensino doméstico ou educação domiciliar. Para navegarem o site, usem os links acima e, para os posts de 2011, o botão da pesquisa na barra direita. Facebook: Aprender Sem Escola Email: aprendersemescola@gmail.com

quarta-feira, 11 de março de 2009

Ensino doméstico: um exemplo

Paigle nunca frequentou a escola; em vez disso, foi educada em casa pela mãe, Bev. A sua educação não seguiu o currículo tradicional - a ênfase foi sempre colocada nas matérias em que ela estava naturalmente interessada e, assim, mais motivada a aprender - incluindo psicologia, que começou a estudar aos 12 anos.

"A minha mãe orientava a minha educação, mas eu estava muito motivada e tendia a organizar os meus próprios estudos."

Paigle concentrou-se nas matérias que adorava: inglês, psicologia e teatro. Mas a sua educação também incluía outras disciplinas mais tradicionais, como a matemática e a ciência.

Agora, com 16 anos, quer fazer o 12º ano e está escolhendo uma escola e investigando o que é preciso para a matrícula. Sem as qualificações formais do 11º ano, Paigle terá de provar à escola que tem a capacidade de estudar ao nível do 12º ano:

"Estou totalmente convencida de que não terei dificuldades nenhumas de estudar a esse nível. Muitos dos jovens que seguem o ensino doméstico decidem a certa altura fazer o 12º ano. Isto agora é completamente normal, e a maior parte das escolas e universidades esperam receber alunos que foram educados em casa. Não considero o ensino doméstico como sendo uma desvantagem.

Os benefícios, para mim, foram óptimos! Como era eu a decidir o meu horário de estudos, tive a oportunidade de fazer muito trabalho voluntário. Estou convencida que se tivesse frequentado a escola não teria a experiência de vida que agora tenho. Se alguém estiver a pensar educar os filhos em casa, aconselho-os a encontrarem a solução que melhor se adequa aos seus filhos. O ensino doméstico resultou muito bem comigo, mas não é para toda a gente. Há jovens que respondem melhor a professores do que, por exemplo, a mães-educadoras".

Original aqui (parte final do artigo).

2 comentários:

Lara Gisela disse...

Olá Paula,
Hoje arranjei tempo para vir até aqui espreitar o que você stêm andado a fazer. Como sempre, o teu blogue está cheio de coisas interessantes. Obrigada e um beijinho

Tibetan Star disse...

Olá Lara,

Obrigada pela visita. Eu tenho ido ao teu blogue mas tenho andado preguiçosa e não tenho deixado comentários ultimamente...

Os cartoons que descobres são o máximo!