Este blog partilha informação sobre o homeschooling e o unschooling - ensino doméstico ou educação domiciliar. Para navegarem o site, usem os links acima e, para os posts de 2011, o botão da pesquisa na barra direita. Facebook: Aprender Sem Escola Email: aprendersemescola@gmail.com

quinta-feira, 12 de março de 2009

A escola dos animais

Havia uma vez uma escola para os animais. A escola tinha um currículo igual para todos, composto por quatro disciplinas obrigatórias: correr, trepar, voar e nadar. Todos os animais eram forçados a estudar as mesmas disciplinas.

O pato nadava muito bem, nadava até melhor do que o professor. Em correr e voar, passou à rasquinha, mas como trepar não conseguia, fizeram com que ele deixasse de nadar para passar mais tempo aprendendo a trepar. Depressa começou a tirar “suficientes” em natação, mas “suficientes” eram aceitáveis para a escola, e ninguém se preocupou muito com isso, ninguém excepto o pato.

A águia era considerada um aluno-problema. Na aula de trepar era sempre a primeira a chegar ao topo da árvore, mas o seu método era contra as regras. Acabava por ficar sempre de castigo, escrevendo "não é permitido fazer batota" quinhentas vezes. Por isso não tinha tempo para voar alto, até chegar ao céu, sentindo o vento na cara, que era o que mais adorava fazer; não tinha tempo porque os trabalhos de casa eram considerados mais importantes do que essas brincadeiras!

O urso reprovou. Os professores disseram que ele era muito preguiçoso, especialmente no inverno.
Para ele, a melhor estação do ano era o Verão, mas nessa altura a escola estava sempre fechada.

A zebra baldava-se muito às aulas porque os póneis gozavam das suas listras, e isso fazia-lhe muito infeliz.

O canguru, quando entrou para a escola, era quem melhor corria, mas ficou desencorajado quando lhe mandaram correr com as 4 patas, como os outros animais.

O peixe desistiu porque achou a escola uma seca. Para ele, as quatro disciplinas não eram matérias separadas ou diferentes, mas ninguém o compreendia pois nunca tinham visto um peixe.

O esquilo era quem melhor trepava, mas o professor de vôo obrigava-o a começar do chão para cima, e não do topo das árvores para baixo. As suas pernas ficavam tão feridas ao praticar descolagens que deixou de ser capaz de trepar e correr.

A abelha era um caso dificil para os professores, por isso mandaram-na ao doutor Coruja. O doutor Coruja disse que as asinhas dela eram demasiado pequenas para voar e que, além disso, estavam no lugar errado. A abelha nunca viu o relatório do doutor Coruja, por isso continuou a voar à sua maneira. Tenho a certeza que todos nós conhecemos uma abelha ou duas...

O pato é a criança que é boa a matemática mas tira más notas a português, e por isso os professores dão-lhe explicações extras de português enquanto os outros alunos têm aulas de matemática. Deixa de ser excelente a matemática, mas pelo menos consegue passar a português, mesmo que seja à rasquinha.

A águia é a criança que é transformada em aluno-problema por ter o seu "próprio método" de fazer as coisas. Embora não esteja fazendo nada de "errado", o seu não-conformismo é considerado problemático, e por isso é punida.

Quem não reconhece o urso? O garoto que é incrivel na natureza, ao ar livre, na rua e em casa, que adora todas as actividades extra-curriculares, mas que esmorece quando chega a altura dos estudos académicos.

E quanto à zebra, a menina tímida, pesada, alta ou baixinha, ninguém se apercebe que o seu fracasso escolar é causado por sentimentos de inadequação social. O canguru é a criança que em vez de perseverar desiste e torna-se a criança descorajada cujo futuro desaparece por não ter sido devidamente apreciada.

O peixe é a criança que necessita de uma educação especial e que nunca poderia brilhar nas salas de aulas.

O esquilo, ao contrário do pato que lá se consegue desenrascar, torna-se um fracasso.

A abelha, oh, a abelha, essa é a criança com que a escola não consegue lidar mas que, apesar de tudo, contra todas as probabilidades e com o apoio dos pais, tem auto-motivação suficiente para se sair bem, embora todos dissessem que ela nunca chegaria a lugar nenhum.


Tive o enorme prazer de conhecer muitas abelhas.

FIM - Vejam o vídeo, em inglês, aqui.

Cada criança possui uma personalidade e uma mistura talentos única, encontrada em mais lado nenhum. Algumas são intelectualmente capazes, outras são abençoadas emocionalmente e muitas nascem com uma criatividade artística incrivel. Cada criança possui a sua própria colecção exclusiva de talentos.

Os nossos filhos não nascem com um manual de instruções. Os pais mais eficazes estão sempre aprendendo, estudando e adaptando as “instruções” às personalidades únicas dos seus filhos. Cada criança é tão única como as suas impressões digitais; são verdadeiros diamantes de incomparável beleza.

Não deixem que os vossos filhos se transformem em cangurus!

Traduzido daqui.

9 comentários:

Pequete disse...

Brilhante!

Tibetan Star disse...

Gostei tanto que não resisti traduzir. Viste o vídeo? Acho que vale a pena ver...

Pequete disse...

Vi, mas as legendas aparecem-me cortadas, só que como já tinha lido a tua tradução, não fez diferença. E também já reenviei o link a uma data de pessoas conhecidas...

Isabel de Matos disse...

Está mesmo bom!
Tu descobres coisas fantásticas!
Olha, fiquei felicíssima com a oportunidade de nos encontrarmos. Estou a ver que o que para mim se vai tornar mais viável é vermo-nos quando estiveres no Estoril, por isso e como ainda não sabes os dias em que vais lá estar e depois se calhar não tens acesso à net tão frequentemente, vou mandar-te o meu nº de telemóvel para o teu e-mail (o endereço que tens no grupo do ensino doméstico), pode ser?
Beijinhos
Até breve!!! :)
Isabel

RUTE disse...

Olá,

cheguei aqui por intermédio do blog da Isabel (A Escola é Bela) e fiquei apaixonada por este texto.

A comparação com os diferentes animais é fantástica.

Realmente, porque havemos de querer ser todos iguais se no fundo a beleza da vida está na sua diversidade?

Também adorei o post "Os meus filhos não frequetam a escola". Obrigada pela partilha.

Paula Peck disse...

Olá Rute!

Também me apaixonei por este texto! As tuas receitas feitas na máquina do pão estão um espectáculo! Tenho de tirar a minha do armário e pô-la a funcionar outra vez!

Luciana Viana disse...

Muito lindo amei e me identifiquei como mãe de águias kkkk tenho 2

Luciana Viana disse...

Muito lindo amei e me identifiquei como mãe de águias kkkk tenho 2

Lucas Gallindo disse...

Eu sou um pouquinho de tudo!XD