Este blog partilha informação sobre o homeschooling e o unschooling - ensino doméstico ou educação domiciliar. Para navegarem o site, usem os links acima e, para os posts de 2011, o botão da pesquisa na barra direita. Facebook: Aprender Sem Escola Email: aprendersemescola@gmail.com

sábado, 18 de abril de 2009

Como funciona o ensino doméstico V

Estilos de aprendizagem

Continuação: a 1ª parte deste artigo está aqui, a 2ª aqui, a 3ª aqui e a 4ª aqui.

Já ficámos com uma ideia geral das várias metodologias que o ensino doméstico pode adoptar. Agora, antes de optarmos por um determinado método, devemos ter em conta o estilo de aprendizagem dos nossos filhos.

Basicamente, existem quatro maneiras de aprender:

* A criança visual é aquela que precisa de ver as coisas para as compreender bem. As crianças visuais respondem bem a diagramas, imagens, gráficos, livros com gravuras e assim por diante. Às vezes gostam de responder a novos conhecimentos criando representações visuais deles.

* A criança auditiva é aquela que aprende ouvindo e falando.
Devido ao seu elemento narrativo, o método de Charlotte Mason é um bom exemplo da metodologia usada para as crianças auditivas.

* A criança táctil é aquela que aprende através do tacto. Uma boa maneira de ocupar estas crianças é através de viagens pelo campo, experiências, projectos artesanais e assim por diante.

* A criança cinestésica precisa de estar intimamente envolvida com aquilo que está a aprender. Por exemplo, se estiver a ler uma história sobre barcos quer ir logo ver os barcos de verdade ou aprender a remar.

Vocês já devem ter uma ideia de qual o tipo de criança os vossos filhos são mas se não a tiverem, comecem a observá-los com atenção. E tentem também descobrir como é que vocês, os pais, melhor aprendem, para estarem conscientes da maneira como influencia a maneira em que vocês naturalmente educam os vossos filhos.

Para os pais, o ensino doméstico é um processo de aprendizagem tanto quanto para os filhos. Vocês não precisam ficar vinculados a um método para sempre. Se resolveram usar o método estruturado mas estão a achá-lo muito rígido, tentem as unidades de estudo. Se essas não derem certo, tentem o método eclético.

De acordo com vários sites e livros sobre o ensino doméstico, muitas famílias avaliam o processo educativo regularmente: nunca é tarde demais nem cedo demais para o ensino doméstico e se não der resultado podem sempre tornar a matricular os vossos filhos numa escola mais tradicional.

Acaba aqui.

2 comentários:

Meninheira disse...

E nao podem ser umha mistura? :)

Obrigada pelos teus magnificos posts.

Beijinhos

Paula Peck disse...

É claro! Mas penso que talvez cada um de nós tenha uma maneira preferida de aprender. Eu, por exemplo, sou uma criança muito "visual"! ;-)