Este blog partilha informação sobre o homeschooling e o unschooling - ensino doméstico ou educação domiciliar. Para navegarem o site, usem os links acima e, para os posts de 2011, o botão da pesquisa na barra direita. Facebook: Aprender Sem Escola Email: aprendersemescola@gmail.com

quarta-feira, 1 de abril de 2009

Refugiados educacionais

Família alemã pede asilo aos E.U.A. para poder continuar a educar os filhos em casa

"O ensino doméstico é tão importante para Uwe Romeike, sua esposa e cinco filhos, que o pianista clássico vendeu seus adorados pianos de cauda para pagar a viagem e mudança da Alemanha para Tennessee.

Enquanto esperam que lhes seja dado asilo político vão vivendo num modesto duplex cerca de 40 milhas a nordeste de Knoxville. Dizem que foram perseguidos na Alemanha, onde a frequência escolar é obrigatória, devido à decisão de educar filhos em casa (e às suas crenças religiosas - são cristãos evangélicos).

Quando se recusaram a obedecer às repetidas ordens de obrigar os filhos a frequentar a escola, a polícia foi a casa deles, pegou nas crianças e levou-as chorando numa grande aflição para a escola.

"Tentámos não abrir a porta, mas eles (polícia) continuaram a tocar a campainha durante 15 ou 20 minutos", disse Romeike. "Telefonaram e deixaram uma mensagem dizendo que se não abrissemos a porta a iriam arrombar, e aí eu abri a porta."

Romeike disse que, como muitos pais americanos, queria educar os filhos fora da escola porque os livros da escola alemã continham linguagem e ideias que estão em conflito com os valores da sua família.

Teve de pagar multas de centenas de dólares pela decisão, e receia ser preso pela polícia se voltar à Alemanha; além disso, tem medo que as autoridades governamentais venham tirar-lhe os filhos, que têm entre os 3 e os 11 anos de idade.

Os Romeikes procuram a liberdade de educação que há nos E.U.A. "A Alemanha, ao contrário do resto da Europa Ocidental, é dura na repressão contra os pais", disse Donnelly. "Eles têm a noção de que o ensino doméstico cria uma sociedade paralela e perigosa."

Na Alemanha, a abordagem ao ensino doméstico é muito diferente do que nos E.U.A. e outros países europeus. Nos E.U.A., o número de estudantes em regime de ensino doméstico tem vindo a aumentar cerca de 8% anualmente. Em 2007 o número de crianças e jovens educados em casa já atingia 1,5 milhão. Na Alemanha pensa-se que apenas 500 crianças aprendem em casa.

"Hoje, as escolas públicas são completamente diferentes daquilo que eram nos meus tempos", disse Romeike. "Eles (o Estado) acreditam que as crianças devem ser socializadas, mas socializadas no sentido de que devem ser todas iguais e agir da mesma maneira, senão não se vão encaixar na sociedade."

A constituição alemã exige que as crianças frequentem a escola. Os pais que não obedecem enfrentam penalizações, desde multas a tempo na prisão. Os tribunais decidiram que nos casos mais graves os trabalhadores sociais podem retirar as crianças dos pais.

Mas o interesse no ensino doméstico não desapareceu. Elisabeth Kühnle, da Rede para a Liberdade de Educação, um grupo alemão que campanha pelo ensino doméstico, diz que recentemente 50 famílias participaram num encontro em Baden-Wuerttemberg."

Tradução livre de parte deste artigo.

3 comentários:

*Lisa_B* disse...

Querida Paula,
como eu sei o que é isso é e que eles estão a sofrer... sinto-o em mim...
Aproveito para lembrar que hoje e o dia mundial da consciencialização do autismo, passe em meu blog please :-)
Beijinhos

Paula Peck disse...

Obrigado por me lembrares do dia mundial da consciencialização do autismo... vou ver se ainda vou a tempo de escrever algo sobre isso!

Já lá fui ao teu blog, que poema tão lindo!

Beijinhos

*Lisa_B* disse...

Querida Paula,
escrevi poema assim num momento tarde da noite cheia de cansaço mas :-) obrigada .
O que que queria ter escrito era o que colocaste como post mas...ando tão esgotada que nem consigo fazer ligações associações de ideias complexas.
Tenho os problemas no tribunal devido à "perseguição" de ter retirado o meu filho da escola apesar de indicação de vários médicos e especialistas no caso do meu filho, e por ouro lado ando com obras de renovação do exterior da casa e são picaretas e martelos pneumáticos e mais sei lá o quê, sei que a minha cabeça parece que rebenta com esta barulheira que nem me deixa pensar, descansar ou falar tal o barulho e começa logo de manhã cedinho.

Por isso todas as ideias que tinha para colocar o post começaram a sair mal e eu nem pensava mais direito então...decidi escrever o poema para que o dia não passasse em branco.
Aperfeiçoarei o mesmo para que fique como homenagem simbólica a eles.

Beijinhos e continua assim ...nunca mudes pois és linda.