Este blog partilha informação sobre o homeschooling e o unschooling - ensino doméstico ou educação domiciliar. Para navegarem o site, usem os links acima e, para os posts de 2011, o botão da pesquisa na barra direita. Facebook: Aprender Sem Escola Email: aprendersemescola@gmail.com

terça-feira, 30 de junho de 2009

Tomate, feijão verde, alface e morangos

Lá fora no quintal, tudo a crescer!

Cada dia que passa aparecem mais tomates,
ainda verdes, claro...

E os primeiros feijões verdes aparecem para dizer "olá!"

E aqui está! O primeiro morango a amadurecer!

Enquanto que as alfaces, essas continuam a crescer...

Pena são as couves e os brócolos, que pelos vistos são a comida preferida dos caracóis, das lesmas e das larvas!

5 comentários:

RUTE disse...

Que maravilha!

É só vida neste blog :-)Abrir a "janela" do Aprender sem escola é abrir uma janela da casa e deixar entrar o ar puro.

Beijinhos Paula.

Paula disse...

Sabes, isto para mim é tudo muito recente. Nunca tinha tentado cultivar os meus próprios alimentos, por isso fico toda entusiasmada ao abservar este verdadeiro milagre da natureza.

O que é engraçado é que, no meu caso, este re-conectar com a natureza deve-se a este processo de desescolarização da mente, que por sua vez é o resultado da adopção da aprendizagem autónoma, ou unschooling.

P e M disse...

E Paula escreves com tanta "intimidade" acerca do cultivo que ninguém diria que era assim tão recente!

Mas é bom, muito bom, não é?

Eu já colhi os morangos do meu vaso (com o calor e o frio sempre a rivalizar foram poucos os que se salvaram) e eram tão, mas TÃO SABOROSOS! Fiquei com pena de não ter mais, mas para o anos haverá (seguramente) mais.

;o)

Paula disse...

É verdade, são muito mais saborosos do que os dos supermercados, que se calhar até estão cheios de produtos químicos!

P e M disse...

"que se calhar até estão cheios de produtos químicos!"

Eu tenho a certeza de que estão (os morangos e os outros produtos). Fazem-me lembrar uns morangos que eu comia quando era pequena na terra dos meus avós, perto de Tomar (os meus, como é óbvio).

Foram poucos, mas souberam-me bem!

Agora estou-me a sentir um pouquinho culpada, não dei nenhum à minha filha... :( A próxima produção vai toda para ela...

;o)