Este blog partilha informação sobre o homeschooling e o unschooling - ensino doméstico ou educação domiciliar. Para navegarem o site, usem os links acima e, para os posts de 2011, o botão da pesquisa na barra direita. Facebook: Aprender Sem Escola Email: aprendersemescola@gmail.com

quinta-feira, 9 de julho de 2009

Meditação andando no País de Gales

Ontem lá fomos nós, por estas estradas de campo bem estreitinhas,

a caminho de um centro de budismo no sul do País de Gales. O centro tem um "prayer path" muito bonito, ideal para fazer meditação andando, uma prática muito agradável que vou partilhar com vocês, depois da photostory que fizemos da nossa "visita de estudo" (música de Oliver Shanti & Friends, do álbum Tibetiya).



Meditação Andando

Caminhamos devagar, sem o objectivo de chegar a uma destinação predeterminada, apenas pelo simples prazer de andar, de tocarmos o momento presente, conscientes da respiração e da caminhada, sem preocupações nem ansiedades, sem pensar no futuro nem no passado, experienciando o aqui e agora, caminhando como se fôssemos os seres mais felizes da Terra.

Caminhamos ligeiramente mais devagar do que normalmente e coordenamos a nossa respiração com nossos passos. Por exemplo, podemos dar três passos para cada inspiração e três passos para cada expiração.

Conscientes do contacto entre os pés e o solo, andamos como se estivessemos beijando a Terra com os nossos pés. Já prejudicámos tanto o nosso planeta... mas agora oferecemos-lhe a nossa paz e serenidade.

Quando vemos algo bonito — uma árvore, uma flor, uma estátua - podemos parar e contemplar. Mas permanecemos atentos à respiração, para que os nossos pensamentos não nos façam esquecer a beleza daquilo que nos despertou a atenção.

Quando quisermos, retomamos a nossa caminhada, com cada passo revitalizando o nosso corpo e a nossa mente; mas isso só será possível se não pensarmos no passado nem no futuro, se soubermos que a vida só pode ser vivida no momento presente.

Geralmente andamos sempre a correr de um lado para outro, tentando obter isto ou aquilo. Sabemos exactamente aonde queremos chegar. Isso pode ser útil, mas às vezes esquecemo-nos de apreciar a caminhada e o percurso.

Na meditação a andar o objectivo não é chegar mas experienciar a felicidade e a paz interior aqui e agora.

Nota: Esta explanação da meditação andando foi adaptada daqui.

8 comentários:

Lara Gisela disse...

Olá Paula,
Adorei o novo look do teu blogue. Está fantástico. E como sempre, gostei de ler os artigos e de ver as fotos. É sempre muito bom visitar-te.
Beijinhos
Lara

Paula disse...

Olá Lara,
Que bom ver que ainda não abandonaste a blogosfera! Pois é, a mania de mudar o background do blogue continua...
Beijinhos

P e M disse...

Meditação... que saudades que eu tenho da Meditação. Antes de engravidar eu meditava em todo o lado. Com a facilidade com que as outras pessoas bebem um copo de água, eu entrava em meditação. Desde que engravidei, que nunca mais consegui...

Talvez um dia!

Mas sinto muita falta, lá isso sinto...

;o)

Marise von disse...

Olá Paula,

O blog está lindo como semre. Parabéns!
Passei aqui para te dizer que tem selinhos pra você no meu blog - Filosofar é preciso.
Abraços,
Marise.

Paula disse...

P e M,

Lembro-me de ter atravessado uma fase semelhante depois do meu filho ter nascido... felizmente há vários tipos de meditação, uns mais adequados a certas fases da vida que outros.

Paula disse...

Oi Marise,

Que honra! Obrigada! E um abraço, claro...

P e M disse...

"felizmente há vários tipos de meditação, uns mais adequados a certas fases da vida que outros."

E Paula, qual a forma de meditação que adoptaste depois do teu filho nascer?

Eu já "(re)aprendi" a meditar com visualização criativa e na União Budista de Lisboa (acho que é esse o nome), que adorei.

Foram 4 aulas durante um mês e a partir da segunda aula comecei a ver as auras de todo e a partir da terceira aula tive a nítida sensação se me conseguisse "despegar" conseguiria levitar... passei o tempo (quase) todo a tentar "policiar-me"....

;o)

Paula disse...

"Qual a forma de meditação que adoptaste depois do teu filho nascer?"

Familiarização com estados mentais positivos; a paciência (ou tolerância), por exemplo... Mas também a generosidade, o altruismo, o entusiasmo, etc.

São meditações analíticas: através de uma linha de raciocínio conseguimos gerar certas emoções positivas e depois "descansamos" nelas o mais possivel.