Este blog partilha informação sobre o homeschooling e o unschooling - ensino doméstico ou educação domiciliar. Para navegarem o site, usem os links acima e, para os posts de 2011, o botão da pesquisa na barra direita. Facebook: Aprender Sem Escola Email: aprendersemescola@gmail.com

sábado, 8 de agosto de 2009

Reportagem da BBC sobre o ensino doméstico

Deixo aqui o vídeo com uma tradução livre.
Esta história também apareceu no jornal, aqui.



As famíliam que educam os filhos em casa manifestaram-se esta tarde contra os planos do governo para uma maior regulamentação do ensino doméstico. Os ministros querem a sua participação num sistema de registro obrigatório e que demonstrem que estão proporcionando aos filhos uma educação adequada - sem essa participação, arriscam-se a ver os filhos sendo forçados a frequentar a escola.

Porém, o grupo de famílias reunido em Brighton diz que o governo devia deixar de os tratar com suspeita e concentrar-se em oferecer maior apoio.

Menino: Eu não vou à escola porque sou autodidacta.

Repórter: O que é que isso quer dizer?

Menino: Quer dizer que sou eu quem me ensina.

Autodidactas e auto-regulados: até agora têm sido as crianças e os pais a controlar o ensino doméstico e apesar do relatório apoiar a educação domiciliar, em Brighton, as ideias do governo não são consideradas necessárias e ninguém as quer.

Nic: Nós temos as nossas próprias ideias sobre o que é importante, nós temos as nossas próprias filosofias da educação e nós assumimos a responsibilidade pela educação dos nossos filhos. O relatório está a tentar forçar-nos a adoptar uma abordagem estruturada e transformar-nos em "escolas" em de casa.

E esse é o problema para estes pais. Dizem que as novas recomendações vão contra o espirito do ensino doméstico e do modo como funciona. Os pais terão que "matricular" os filhos no ensino doméstico e especificar em adiantado o que irão aprender e como irão aprender no ano seguinte. Agora as autarquias locais vão ficar encarregadas da monitorização do ensino doméstico através de visitas ao domicílio.

O governo diz que reconhece o ensino doméstico e que a maioria das famílias faz um trabalho fantástico mas que não se pode dar ao luxo de deixar nenhuma família passar despercebida. Diz que tem de fazer um balanço entre os direitos dos pais e o direito que as crianças têm à melhor educação possível.

Para Ali, a melhor educação possivel não é adquirida quando as crianças estão sentadas numa secretária ou na mesa da cozinha mas lá fora, em contacto com a comunidade onde ensina a filha Freya.

Ali: Está provado que a melhor aprendizagem possível ocorre quando as pessoas aprendem porque elas querem aprender, e esse tipo de aprendizagem é completamente diferente da aprendizagem que segue um horário. Esta é a mensagem que estamos tentando transmitir ao governo antes que estas recomendações se tornem leis.

Sem comentários: