Este blog partilha informação sobre o homeschooling e o unschooling - ensino doméstico ou educação domiciliar. Para navegarem o site, usem os links acima e, para os posts de 2011, o botão da pesquisa na barra direita. Facebook: Aprender Sem Escola Email: aprendersemescola@gmail.com

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Ensino doméstico na Jamaica

Na Jamaica, a educação domiciliar parece ir de vento em popa!
Este artigo, que passo a traduzir, saiu ontem no jornal. Podem ver o original aqui. No fim deste post coloquei um link para outro artigo de jornal sobre o ensino doméstico na Jamaica.

Homeschooling - uma alternativa à escola tradicional

Há um ano, Tricia e Julian optaram por retirar os filhos da escola e educá-los em casa. Dez meses depois, estão muito satisfeitos com o progresso que os filhos estão fazendo.

No ensino doméstico, a educação é dirigida pelos pais. São eles que decidem como é que os filhos devem ser educados, com base nas suas personalidades únicas. A atenção que as crianças recebem é muito superior à que receberiam numa sala de aulas.

Tricia explica: "As crianças, quando pequenas, ainda não têm a capacidade de atenção desenvolvida. Quando [o ensino] é feito um-a-um, podemos adaptar o método de ensino-aprendizagem para se adequar à capacidade das crianças.

Zachary, por exemplo, que tem 5 anos, tem dificuldades de se sentar quietinho quando alguém lhe está contando uma estória. Ele gosta de ouvir e colorir ao mesmo tempo. Os professores não poderiam permitir que isso acontecesse numa sala cheia de alunos pois a situação poderia tornar-se caótica."

A família usa um currículo chamado Sonlight, que consiste num ano lectivo de 36 semanas e 16 semanas de férias. Eles têm aulas 5 dias por semana, das nove ao meio-dia, embora também haja oportunidade para aprender durante os fins de semana. Tricia ensina seus filhos, concentrando-se na religião, história, matemática, leitura, línguas, arte e ciências. Sonlight fornece todo o material necessário para completar o currículo anual, juntamente com orientações sobre o modo de estruturar a sua implementação. Foram atraidos pelo Sonlight por ser baseado em literatura e ensinar os alunos a pensarem por si mesmos.

Depois de Tricia ler uma estória aos filhos, eles discutem cada faceta e fazem pesquisas na internet sobre o país em que a estória ocorre. Às vezes, brincando, imitam partes das estórias, como fizeram com a estória de uma criança que ficou cega devido a um acidente com fogo de artifício. Brincaram “às cegas” andando pela casa com os olhos tapados para terem uma ideia do que seria se não pudessem ver.

Às vezes as pessoas pensam que estes miúdos perdem oportunidades essenciais para socialização, mas a verdade é que as crianças e os jovens não precisam estar rodeados de outras crianças e jovens de manhã à noite. Tricia conhece outras famílias que educam em casa; elas juntam-se e organizam excursões e passeios para as 12 crianças do seu grupo. Além disso, os miúdos também brincam regularmente com os amigos deles que andam na escola.

As famílias que optam pela educação domiciliar têm a vantagem de poupar dinheiro que podem depois usar para uma variedade de actividades extra-curriculares. A sua filha Gabrielle, por exemplo, anda no balé, tênis, francês, piano, natação e ginástica. Através destas actividades ela criou muitas amizades com crianças da sua idade.

Temos muitas vezes a percepção errada de que o ensino doméstico produz filhos estranhos e anti-sociais. Este não é o caso. Na verdade o mais provável é serem muito bem-educados. Quando as crianças passam 6 horas por dia e 5 dias por semana rodeadas por uma multidão de alunos, acabam assimilando uma série de maus hábitos. No ambiente familiar eles são influenciados pelos valores dos pais. Além disso, não estão sob pressão para comprar os itens que os colegas levam para a escola, como celulares e iPods.

Tricia diz que os filhos "estão felizes com o que têm e apreciam as coisas que têm. Não são vítimas de bullying e violência escolar. Continuam a ir a festas de aniversário e actividades com crianças que frequentam a escola. Não têm saudades nenhumas da escola."


As pessoas às vezes pensam que é preciso ser-se um tipo especial de pessoa para ter a paciência de fazer o que Tricia faz, mas ela insiste que não:

"Eu andava muito mais estressada quando os meus filhos andavam na escola. Tínhamos de nos levantar antes das 6 da manhã e era sempre uma correria louca para sairmos de casa às 7:15hrs. Agora eles acordam entre as 7 e as 7: 30 e podem preparar-se e tomar o pequeno almoço sem pressas. "

Os filhos de Tricia e Julian estão a ser muito bem educados. São inteligentes e curiosos sem serem arrogantes,e as suas habilidades sociais são impecáveis. Pelo que observei, a educação domiciliar tem ajudado estas crianças a crescer e a tornarem-se pessoas íntegras e maravilhosas.

Parece que afinal existe uma verdadeira alternativa, e de maior qualidade, às escolas privadas / particulares.

Links: Homeschooling works for Jamaican family

Sem comentários: