Este blog partilha informação sobre o homeschooling e o unschooling - ensino doméstico ou educação domiciliar. Para navegarem o site, usem os links acima e, para os posts de 2011, o botão da pesquisa na barra direita. Facebook: Aprender Sem Escola Email: aprendersemescola@gmail.com

sábado, 19 de setembro de 2009

Suécia continua o ataque à liberdade de educação

Agora que a semana internacional da liberdade de educação está a terminar vou deixar-vos uma estória que demonstra a sua importância. Trata-se da estória de um menino que foi raptado pelo Estado porque os pais queriam educá-lo em casa. Isto num país onde o ensino doméstico é legal e apesar da mãe ser qualificada para dar aulas na universidade. A foto abaixo mostra a mãe e o menino antes do pesadelo ter começado.

Home School Legal Defense Association enviou um pedido formal ao director dos serviços sociais da Suécia e a vários outros funcionários públicos suecos e americanos, para que investigassem o caso de Annie e Christer Johansson.

Christer e Annie Johansson são os pais de Dominic, que foi removido à força pela polícia armada do avião, minutos antes da família levantar vôo para começar vida nova na India, terra natal de Annie.

O presidente da HSLDA expressou sua preocupação e pediu que a criança fosse devolvida à família:

“Se os factos que descrevemos correspondem à verdade, parece-nos que esta família foi sujeita a uma enorme injustiça e que os interesses de Dominic não estão sendo protegidos. Este caso é particularmente alarmante tendo em vista as recentes propostas feitas ao governo suéco relativamente à imposição de severas restrições ao ensino doméstico. (...) Pedimos respeitosamente que reconsiderem e devolvam Dominic à sua família de imediato de modo a não perpetuar o mal que já fizeram aos Johanssons.”

Mats Tunehaga, o Presidente da Swedish Evangelical Alliance, diz num artigo que escreveu para o jornal suéco Varlen Idag que a situação é mais que trágica:

“Christer telefonou-me outra vez hoje de manhã. Estava chorando baixinho, sua dor e desespero eram óbvios. Levaram sua esposa de emergência para o hospital devido à intensidade do trauma. Afinal, o Estado raptou-lhe o filho por quererem educá-lo em casa.”

Ambos pais são cristãos mas foram tratados como terroristas.

“Annie é de uma família indiana cristã e faziam planos de ir para lá viver, trabalhar e educar o filho. Adiaram a viagem devido à intimidação por parte das autoridades suécas, mas em Junho deste ano estavam a caminho, sentados no avião para a India. Foi então que de repente a polícia apareceu dentro do avião—como se fossem prender terroristas perigosos—e levaram Dominic, dizendo que o Estado passaria a cuidar dele. Conseguem imaginar isto?”

O advogado da HSLDA também esteve em contacto com a família:

“Esta total falta de consideração pela integridade da família e pela dignidade humana está se tornando comum em países como a Alemanha e agora, pelos vistos, na Suécia também. O Estado está mais interessado em forçar a uniformidade do que em proteger os direitos humanos e promover o pluralismo. Na Alemanha, os tribunais afirmaram que a educação domiciliar pode criar perigosas sociedades paralelas – uma noção absurda que distorce a noção de pluralismo de uma maneira grotesca.”

O pai, Christer, disse-nos:

“Tanto eu como a minha esposa acreditamos na importância da educação. Somos muito estudiosos. Annie tem qualificações que lhe permitem ensinar ao nível universitário e eu fui professor na comunidade. Dominic é um rapaz muito inteligente e nós fazemos questão de lhe proporcionar uma quantidade enorme de materiais que vão ao encontro dos seus interesses. Começámos a educá-lo formalmente quando ele tinha 6 anos.”

Vários têm observado que este tipo de ataque às famílias que educam os filhos em casa parece estar aumentando na Europa.

“O caso dos Johanssons pode ser a primeira tentativa de expandir este tipo de repressão a outro país europeu – em nome da uniformidade e conformismo. O monstro não está erguendo sua cabeça apenas Suécia mas também noutros sítios, including o Reino Unido, França, Bélgica e Suiça, onde existem tentativas de impôr restrições adicionais ao ensino doméstico.”

Parece que o parlamento suéco está seguindo o exemplo da Alemanha, onde a educação domiciliar é ilegal desde os tempos de Hitler.

ROHUS, a associação do ensino doméstico na Suécia, tem vindo a expressar sua preocupação em relação às propostas de lei que poderão restringir gravemente o direito que os pais têm de educar os filhos em casa.

De acordo com o site da ROHUS, a nova lei só permitirá a educação domiciliar em “circunstâncias extraordinárias”, eliminando efectivamente o ensino doméstico na Suécia e resultando em condições semelhantes às que os pais-educadores enfrentam na Alemanha."

Durante o World Congress of Families, Michael Farris, fundador da HSLDA e presidente de Parental Rights, concordou:

“Qualquer nação que limite o direito que os pais têm de escolher formas alternativas de educação - incluindo a educação em família -, em nome da criação da uniformidade nacional, não pode apresentar-se como uma nação livre. A liberdade requer necessariamente que o indivíduo tenha a liberdade de pensar de maneira diferente do que os programas instituidos pelos seus governantes. A liberdade de educação é absolutamente essencial para a liberdade de pensamento e consciência.”

O presidente de Advocates International, uma rede internacional de advogados que promovem os direitos humanos, a santidade da vida humana e a liberdade religiosa, consideram que este é um caso de rapto pelo Estado.

“Isto é um caso de vingança por parte do Estado que, com os seus “assistentes” sociais, tem o poder de violar completamente o direito mais fundamental – dos pais cuidarem dos seus filhos.”

Leiam mais aqui e aqui, porque a tradução é apenas parcial. E para acabar, este vídeo da ROHUS mostra como celebraram o dia internacional da liberdade de educação em 2008.


2 comentários:

*Lisa_B* disse...

Ola querida amiga,
estou chocada não será o termo correcto porque a mim já nada me "espanta" em País algum. Como passei por situação parecida imagino o que esses pais e criança sofreram...
É triste, deplorável isto acontecer em democracia.
Como sabes o meu filho entrou para a escola a saber ler, escrever e calcular. Sabia de todas as matérias desde geografia de um alto nivel até portugues e mesmo ingles isto com 6 anos. Fui capaz de o educar alfabetizar porque quer o estado esse valor para ele?
Bem...sem mais comentários.
Linda tenho um prémio para o teu blog apesar de não ver selinhos exibidos fica a intenção pois mereces.
Voltei ontem após um afastamento devido a todos os problemas de saúde do Bruno e os outros que sabes pois continuam, tribunal etc...
Temos de proteger os filhos!
Voltarei para ler todos os post's.
Beijinhos para v/.

Paula disse...

Olá Lisa_B,

Concordo plenamente, que tristeza, ver coisas destas acontecendo na Europa. Mas que bom que estás de volta!

Quando aos selinhos, ultimamente tenho andado a pô-los na barra direita, lá para baixo, com a foto linkando ao site de onde o selinho veio. Fico sempre agradecida porque é uma maneira de partilhar esta informação com mais pessoas!

Beijinhos para vocês.