Este blog partilha informação sobre o homeschooling e o unschooling - ensino doméstico ou educação domiciliar. Para navegarem o site, usem os links acima e, para os posts de 2011, o botão da pesquisa na barra direita. Facebook: Aprender Sem Escola Email: aprendersemescola@gmail.com

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Ensino doméstico na China

Como hoje é o Dia Nacional da China (a República Popular da China celebra hoje 60 anos), traduzi um artigo sobre a educação domiciliar na China. Incrível, não é? O ensino doméstico está em todo o lado, um verdadeiro fenómeno global! E o que dizem os especialistas educacionais chineses? Que é sinal do avanço educacional da China! Mas primeiro, um vídeo: dois adolescentes chineses educados em casa falam sobre as suas futuras carreiras.



Segue-se a tradução parcial e livre deste artigo.

Em comparação às outras crianças da mesma idade, Li Jingci passa menos tempo em salas de aulas mas aprende mais. O pai, Li Tiejun, ensina-lhe chinês, matemática, pintura, música e até astrologia e arte da guerra.

E Li Jingci não é a única. Embora ainda não haja estatísticas precisas sobre a educação domiciliar na China, o número crescente de casos aparecendo nos meios de comunicação sugere que o número está aumentando.


Ensino doméstico: como e por quê?

A maioria dos pais opta por educar os filhos em casa por não acreditar que os filhos podem aprender aquilo que realmente precisam na escola.

"A maioria das disciplinas que a escola oferece são inúteis para o futuro da minha filha", disse Li Tiejun. "Prefiro ensinar-lhe algo de útil do que desperdiçar dinheiro na escola".

O que ele quer dizer com "algo de útil" torna-se aparente quando entramos em sua casa. O teto e as paredes estão cobertas com gráficos cheios de estrelinhas, e pautas de música clássica chinesa estão penduradas na parede ao lado da janela. As posses que a família mais valoriza são dois violinos e um teclado eletrônico.

Li Tiejun só frequentou a escola primária, mas agora é o único professor de sua filha. Acha que aprendeu o suficiente para ensinar a filha de 9 anos e que, se precisar, pode sempre contratar professores particulares.

Yuan Wei, professor no Instituto Guangzhou Baiyun, é outro pai que pratica o ensino doméstico. Decidiu educar a filha Wei Xiaoxi depois de ter chegado à conclusão que o ensino público tinha demasiadas falhas. Wei disse o seguinte a um jornalista:

"Uma das principais razões que nos levou a optar pela educação domiciliar foi a nossa decepção em relação aos métodos de ensino nas escolas primárias e secundárias. Os métodos de ensino são estupidificantes. Os miúdos têm de fazer somas após somas, repetidamente, e não estão autorizados a expressar-se abertamente quando escrevem composições. E também acho que não precisamos de 9 ou 12 anos para cumprir o currículo da escola primária e secundária. Metade do tempo seria suficiente; as crianças aprendem muito depressa quando o ensino é eficiente".

Wei comprou uma série de livros e começou a ensinar chinês, inglês e informática. Sua esposa ficou encarregada da matemática, música, arte e desporto. Armados com um horário detalhado, embarcaram na sua ousada missão. Wei Xiaoxi aprendeu depressa; num ano e meio completou os cursos do primeiro ano do ensino médio.

"Nós não queremos criar um gênio", disse Yuan Wei. "Nós educamo-la em casa porque acreditamos que os métodos de ensino devem ser adaptados às necessidades individuais das crianças."

Mas Ding Wenjun espera produzir um gênio com o ensino doméstico. Ding Wenjun, ex-empresário ficou famoso depois do filho Ding Junhui (18 anos) ter derrotado 7 vezes Stephen Hendry, o campeão mundial de snooker.

Ding Junhui deixou a escola aos 10 anos. O pai acreditava que o filho era um gênio no snooker e disse-lhe para se concentrar no jogo.

"A vida é uma aposta", disse Ding Wenjun. "Mesmo frequentando a escola, é uma aposta. Falhar não importa desde que acreditemos que aquilo que estamos fazendo vale a pena."

Educação domiciliar e a lei

Li Ansu, mãe de Li Jingci e ex-namorada de Li Tiejun, processou-o por violar a Lei da Educação Obrigatória e a Lei da Protecção de Menores. O caso provocou grande controvérsia.

A Lei de Educação Obrigatória afirma que a comunidade, as escolas e as famílias devem salvaguardar o direito à educação obrigatória. Quando as crianças atingem a idade escolar, os pais devem enviá-las para a escola.

"No nosso país, a lei diz que o ensino fundamental e médio são obrigatórios. Os pais e encarregados de educação devem mandar os filhos para a escola. Se não cumprirem as obrigações, devem ser forçados a cumprá-las"", disse Tan Zongze, professor universitário de Ciências Políticas e Direito, numa entrevista à TV Chongqing.

Xu Jiangyong, vice-director de uma Escola Primária na Província de Sichuan, não concorda com Tan.

"A lei diz que os pais devem enviar os filhos de idade escolar à escola", disse Xu. "Mas isso diz respeito principalmente àqueles que não educam os filhos. E a maioria dos pais que opta pelo ensino doméstico tem como objectivo uma educação de melhor qualidade para os filhos. Tanto a motivação e a prática são diferentes. Não se trata de negligência educacional."

O tribunal decidiu contra Li Tiejun, pedindo-lhe para enviar Li Jingci para a escola. Ele respondeu dizendo que nunca mandaria a filha para a escola.

Mas também há especialistas que defendem uma atitude aberta a esta nova forma de educação. Meng Siqing, um erudito da Academia de Ciências da Educação em Tianjin , escreveu num artigo sobre o ensino doméstico:

"É sinal do avanço educacional da China. Pensando a longo prazo, é necessário estabelecer leis e dar apoio às pessoas envolvidas no ensino doméstico para que o direito à aprendizagem que as crianças educadas em casa têm e o direito dos pais de escolher o tipo de educação a dar aos filhos possam ser protegidos".

Links
O Despertar da China (vídeo)
Home schooling gains favour
Homeschooling From Abroad
Chinese Homeschooling (YouTube)

Sem comentários: