Este blog partilha informação sobre o homeschooling e o unschooling - ensino doméstico ou educação domiciliar. Para navegarem o site, usem os links acima e, para os posts de 2011, o botão da pesquisa na barra direita. Facebook: Aprender Sem Escola Email: aprendersemescola@gmail.com

terça-feira, 30 de junho de 2009

Tomate, feijão verde, alface e morangos

Lá fora no quintal, tudo a crescer!

Cada dia que passa aparecem mais tomates,
ainda verdes, claro...

E os primeiros feijões verdes aparecem para dizer "olá!"

E aqui está! O primeiro morango a amadurecer!

Enquanto que as alfaces, essas continuam a crescer...

Pena são as couves e os brócolos, que pelos vistos são a comida preferida dos caracóis, das lesmas e das larvas!

segunda-feira, 29 de junho de 2009

Por onde andámos - Leigh Woods

Ontem fomos até Leigh Woods, uma floresta

com uma área de 2 Kms quadrados, a uns 15mns de carro daqui.

É uma área óptima para passeios, a pé ou de bicicleta.

Em 1909 parte da floresta foi doada à National Trust,

para evitar a sua destruição pelo desenvolvimento da cidade.

O resto da floresta está a cargo da Forestry Commission,

que cuida de 827 000 hectares de bosques e florestas e planta mais de 17 milhões de árvores por ano!

domingo, 28 de junho de 2009

Hoje fomos ao mercado

Todos os domingos há um mercado no Tobacco Factory.

O mercado é mais do que um local de compras;

é um ponto de encontro para a comunidade,
um lugar onde se pode comer e beber, ouvir música ao vivo,

ver as pessoas passar e deixar os filhos brincar à vontade.

Tem como objectivo um comércio ético e ecológico (eco-friendly)

concentrando-se em produtos locais e biológicos (orgânicos?).

Tive de comprar uma empada porque o Daniel gosta muito delas!

O mercado abriu-nos o apetite e fomos almoçar ao Cafe Ceiturica.

Depois do almoço, um passeio na floresta, mas essas fotos ficam para amanhã!

quinta-feira, 25 de junho de 2009

Economia da generosidade II - Freeconomy

Hoje vou falar da visita a Eastside Roots, uma cooperativa com fins não lucrativos fundada pelo grupo de Permacultura de Bristol.

É um projecto interessante, organisado pela comunidade para a comunidade, de renovação de uma zona abandonada situada à beira de uma estação de comboios. As pessoas reuniram-se e depressa transformaram o espaço num centro de jardinagem, horticultura e várias outras coisas, aberto a todos, incluindo aos que querem partilhar aquilo que sabem, o que me leva ao motivo que levou à visita do local.

Como sabem eu sou fã da economia da generosidade. Há vários nomes para o movimento: economia alternativa, economia solidária, etc. E ontem, Mark Boyle, fundador da freeconomy community, foi ao Eastside Roots falar sobre a economia grátis, e explicar como é que ele consegue viver sem dinheiro e a filosofia por trás da decisão.

Freeconomy, ou economia grátis, é ainda mais radical do que os outros sistemas alternativos, que se baseiam em trocas, em que se dá mas com a expectativa de receber algo em troca. Aqui a ideia é dar sem expectativas, dar apenas pelo prazer de dar. É um movimento baseado no ideal de pay it forward, como no filme Favores em Cadeia (no Brasil, Corrente do Bem), em que se eu te fizer um favor e quiseres retribuir, então eu peço-te para ajudares alguém que esteja precisando de ajuda.

Marc tem um background em economia e gestão de empresas mas quando arranjou um emprego numa fazenda orgânica (agricultura biológica) a sua vida mudou. Começou a ficar consciente da devastação ecológica e humana causada pelo consumismo e pela busca do lucro. E quando se apercebeu dos malefícios do capitalismo, da globalização e do sistema monetário, resolveu seguir o exemplo de Gandhi e fazer da sua vida a sua mensagem. Há 7 meses que vive sem dinheiro, ajudando sempre que pode e confiando que as suas necessidades serão satisfeitas.

E como o tema principal deste blogue é o ensino doméstico não posso deixar de mencionar a faceta educativa, porque tanto Eastside Roots como Bristol Freeconomy Community organisam "aulas" semanais, completamente grátis, abertas a todos, dadas gratuitamente por quem as quiser dar.

E para acabar, um link: o filme La Belle Verte.

segunda-feira, 22 de junho de 2009

Compostagem - aprender a fazer adubo orgânico

Agora que temos uma composteira (oferecida através do freecycle,

que em Bristol tem mais de 28 mil membros e entre 6 e 7 mil anúncios por mês), só faltava aprender a fazer adubo orgânico.

Felizmente, o que nunca falta é informação.
Encontrámos estes folhetos (na foto acima)

no centro de reciclagem, quando fomos lá buscar pneus

para reutilizá-los como "canteiros" na horta (falei disso aqui).
Informação há muita, um pouco por todo o lado.

Em casa, tirámos os livros de jardinagem das estantes, vimos slides e videos (como este e este), descobrimos livros disponíveis para ler online na íntegra (Compostagem e Consumo sustentável), e pesquisámos vários sites sobre a compostagem caseira, como o da Horta da Formiga. Sem pôr os pés na escola, aprendemos e reflectimos sobre várias coisas, desde o ciclo da matéria orgânica aos materiais a compostar e a não compostar.

Depois foi só pôr as mãos na massa, porque sem ser posto em prática o conhecimento torna-se inútil. Como dizem por estas bandas, “if you're going to talk the talk, you've got to walk the walk”; afinal, uma acção vale mais que mil palavras! E aqui está, são testemunhas dos nossos primeiros passos no mundo da compostagem!

domingo, 21 de junho de 2009

Visita a Tintern Abbey

Hoje fomos até ao País de Gales, a uma pequena vila chamada Tintern, situada à beira do River Wye.

O rio Wye é o 5º rio mais longo do Reino Unido e, em certas partes, forma a fronteira entre a Inglaterra e o País de Gales.

Fomos até lá porque queríamos visitar Tintern Abbey,

as ruinas de uma abadia fundada em 1131 por monges da ordem cisterciense.

Almoçámos perto de um moinho que antigamente triturava milho,

e quando chegámos a casa fizemos uma photostory da nossa "visita de estudo" e colocámos no YouTube - se quiserem ver, está aqui.



No ensino doméstico, ou educação domiciliar no Brasil, principalmente no método unschooling, a aprendizagem não é separada do resto da vida, pelo contrário, é um processo que ocorre naturalmente como consequência de se estar vivo.

Vejam como hoje, passeando e brincando, aprendemos sobre história, geografia, religião, arquitectura, fotografia, música e novas tecnologias de informação e comunicação! Sem planos de aula, sem currículos, sem escola!

sábado, 20 de junho de 2009

Coisas do dia a dia...

Em casa, falafels com cuscuz, brócolos e courgetes.

Lá atrás, no quintal, os primeiros tomates

e morangos dão sinais de vida.

Na horta, é o que vêem...



Bom fim de semana a todos!

sexta-feira, 19 de junho de 2009

As coisas que vimos

ontem, na horta, no terreno do vizinho ;-)





quinta-feira, 18 de junho de 2009

Aprender a identificar árvores

A visita à quinta pedagógica incluiu um passeio de identificação de àrvores. Vimos bétulas, pinheiros, corylus, cerejeiras, freixos, bordos, salgueiros, pereiras, amieiros, etc.

Lembro-me de algumas coisas: dos freixos (Fraxinus),

dos pinheiros

e das cerejeiras,

mas para ser sincera, já me esqueci de quase tudo...

Por isso, se souberem o nome destas,

e tiverem vontade de partilhar, ficamos agradecidos!