Este blog partilha informação sobre o homeschooling e o unschooling - ensino doméstico ou educação domiciliar. Para navegarem o site, usem os links acima e, para os posts de 2011, o botão da pesquisa na barra direita. Facebook: Aprender Sem Escola Email: aprendersemescola@gmail.com

sábado, 16 de janeiro de 2010

India: Homeschooling cada vez mais popular

Mais uma tradução livre e parcial de um artigo publicado ontem:

Os teus filhos odeiam a escola? Andam estressados, sobrecarregados, sob uma enorme pressão? Estás farta do sistema de ensino convencional? Simples, não lhes mandes para a escola. Experimenta o homeschooling - é o que os pais em Bangalore estão a fazer cada vez mais.

Em cidades como Mumbai e Pune muitos pais deixaram de mandar os filhos para a escola. Em vez disso, aprendem sozinhos em casa ou são ensinados pelos pais e/ou tutores. Em Bangalore há mais de 50 crianças no ensino domiciliar e até há um fórum online onde os pais interagem e apoiam-se uns com os outros. Todos eles têm razões diferentes para optar por este sistema.

Para o agricultor Vivek Kariappa, foi ter-se apercebido que o ensino convencional é preconceituoso em relação ao sistema rural. Os filhos não seguem livros didáticos mas um currículo orientado para a agricultura. São encorajados a ler, a buscar informações, a enfrentar problemas e a encontrar soluções.

Há um ano, quando o filho, que estava interessado em esportes, queixou-se que não tinha tempo para dedicar-se à sua paixão, Sunil Ruthnaswamy decidiu retirá-lo da escola. "Agora tenho tempo para tudo. Estudo 3 horas por dia, e isso equivale a um dia na escola. Dedico-me ao críquete e remo 6 horas por dia (3 horas cada) e estou bem feliz!", disse Joshua Ruthnaswamy, 14.

No entanto, para muitos, o que os leva a optar pelo homeschooling é a aversão ao sistema convencional. Amit Mathur, um profissional de software, diz: "Nem eu nem a minha esposa estávamos satisfeitos com a educação que recebemos. Não confiamos no actual sistema de ensino, e eu não quero ver os meus filhos crescer sem pensar."

Há também crianças com distúrbios de aprendizagem para quem o homeschooling é uma opção melhor.

COMO FUNCIONA

Não existe um currículo separado para crianças que aprendem em casa. A maioria dos pais com quem falámos segue livros didáticos. No entanto, nem todos fazem isso, pois há quem crie o seu próprio currículo.

Em geral não inundam os filhos com livros. "Quando o meu filho estava na primeira classe eu costumava levá-lo às lojas e fazê-lo compreender adição e subtração. Mais tarde usei livros de exercícios. Foi assim que lhe ensinei matemática", disse Chetana Keni. As crianças são encorajadas a descobrir as coisas por si mesmas e a apreciar o prazer de aprender coisas novas.

Embora a maioria dos pais oriente os filhos quando eles estão na primária, também usam tutores quando sentem que não podem lidar com certas matérias. "Nós temos um fórum. Cada pai é bom em determinadas matérias. Eu, por exemplo, adoro matemática. Assim, quando uma criança precisa de ajuda com a matemática, eu ajudo", disse Amit Mathur, programador de software.

Quando chegam ao ano 10, os jovens podem fazer exames inscrevendo-se no National Institute of Open Schooling ou International General Certificate of Secondary Education. O diploma é reconhecido em todo o mundo.

DE NOVO EM CASA

A maioria das crianças tem um horário que não é regimentado. Estudam durante determinado número de horas (entre 2 a 6 horas), ocupam o tempo dedicando-se às suas áreas de interesse, com amigos e sozinhos.

"A maior vantagem é que o horário é flexível. As crianças podem aprender o que querem, quando querem. Podem aprofundar os conhecimentos tanto quanto quiserem. Aprendem ao seu ritmo e à sua maneira. Tomam responsibilidade pela sua aprendizagem. Vivem e aprenderm sem estresse", disse Aditi Mathur, um forte adepto de métodos de ensino alternativos.

[...]

O que dizem os psicólogos:

Considerando o sistema que as nossas escolas estão a seguir, o homeschooling é uma boa opção. As escolas estão a abarrotar - quer nas actividades curriculares quer nas extra-curriculares. Em família, o ambiente é mais relaxado e, portanto, mais propício para a aprendizagem. Há quem diga que a pressão a que as crianças estão submetidas na escola é boa. Mas, em 90% dos casos, essa pressão não faz bem nenhum.

- MS Thimmappa, psicólogo clínico e ex-vice-reitor da Universidade de Bangalore University

Sem comentários: