Este blog partilha informação sobre o homeschooling e o unschooling - ensino doméstico ou educação domiciliar. Para navegarem o site, usem os links acima e, para os posts de 2011, o botão da pesquisa na barra direita. Facebook: Aprender Sem Escola Email: aprendersemescola@gmail.com

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

J. T. Gatto: Como tomar controle da tua educação

Ninguém te dá uma educação. Se queres uma tens que ser tu a obtê-la.

A única pessoa que te pode educar és tu e não podes fazê-lo memorizando isto e aquilo. Tens que descobrir quem és através da experiência, tomando riscos e, depois, perseguindo intensamente a tua própria natureza. As rotinas escolares são criadas para desencorajar o teu processo de auto-descoberta. As pessoas que sabem quem são criam problemas para as escolas.

Para te conheceres a ti próprio, tens que estar consciente das escolhas aleatórias que vais fazendo, descobrir os teus padrões e usar esse conhecimento para dominar a tua própria mente. É essa a única maneira em que o livre-arbítrio pode crescer. Se evitares este processo, outras mentes irão manipular-te e controlar-te para o resto da tua vida.

Um método que as pessoas usam para descobrir em quem é que se estão a tornar é manter um diário, onde registram o que lhes atrai a atenção juntamente com alguns comentários. Desta forma, começas a ouvir-te a ti mesmo em vez de te limitares a ouvir os outros.

Outro caminho para a auto-descoberta que parece ter atrofiado através da escolarização é encontrar um mentor. Os livros podem servir de mentores, se aprenderes a lê-los intensamente, com todos os sentidos alertados para as nuances. Os livros podem mudar a tua vida!

Tradução livre e parcial do trecho inicial deste artigo de J.T.Gatto.

2 comentários:

Isabel de Matos disse...

Bem!
Estou mesmo de acordo com o que diz Gatto neste texto!
Engraçado, desde criança que mantenho diários... talvez tenha mesmo sido uma ajuda a que toda a escolaridade pela qual passei não me tivesse tirado toda a percepção sobre mim própria.
Obrigada, Paula! Beijinhos
Isabel

P e M disse...

Em tempos, quando era mais nova, tive vários diários... mas depois, num daqueles momentos de "limpeza" deitei-os fora.

Hoje, que não me dá tanto daqueles momentos de "limpeza" tenho saudades dos diários...

Quando a minha filha crescer e começar a escrever (pelo andar da coisa não vai faltar assim tanto tempo, pois ela já sabe distinguir o "A", "O", o "M" e o "E") eu gostaria que não lhe desse momentos de "limpeza"...

;o)