Este blog partilha informação sobre o homeschooling e o unschooling - ensino doméstico ou educação domiciliar. Para navegarem o site, usem os links acima e, para os posts de 2011, o botão da pesquisa na barra direita. Facebook: Aprender Sem Escola Email: aprendersemescola@gmail.com

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Muçulmanos optam pelo ensino doméstico

Martinez e os 6 filhos, com idades entre os 2 e os 12, fazem parte de um número crescente de muçulmanos adoptando o ensino doméstico. Martinez diz-nos que nos últimos cinco anos viu o número de homeschoolers muçulmanos aumentar de uma maneira louca na área de Washington.

Segundo nos diz Brian Ray, presidente do National Home Education Research Institute, embora três quartos dos 2 milhões de homeschoolers do país se identifique como cristãos, o número de muçulmanos está expandindo "relativamente depressa" em comparação com outros grupos.

Fazem-no pelas mesmas razões que os não-muçulmanos: "nível acadêmico mais forte, mais tempo em família, orientação da interacção social, proporcionar um lugar seguro para a aprendizagem e transmitir os seus valores, crenças e visão de mundo."

Os pais dizem que é uma alternativa atraente às escolas públicas, em relação às quais nem sempre se sentem confortáveis devido às suas tradições e valores, e às escolas islâmicas, que podem ser distantes, estar fora das suas possibilidades financeiras ou deixar a desejar no que toca ao rigor acadêmico.

Se os muçulmanos têm vindo a abraçar a escola em casa mais tarde do que outros, isto deve-se em parte devido ao facto que muitos muçulmanos nos Estados Unidos são imigrantes que não estão cientes desta opção.

De facto, para muitos imigrantes, a ideia de ensinar em casa é contrária às suas razões para vir para a América, que frequentemente incluem melhores oportunidades educacionais. E a escola pública tem sido vista como um portal essencial para a assimilação.

Quando Sanober chegou do Paquistão há 13 anos e começou a educar os três filhos em casa ela era a única imigrante que conhecia praticando o ensino domiciliar. As outras pessoas de países muçulmanos "pensavam que eu era esquisita", disse ela. Uma delas disse-me: "Espero que não te vás destruir a ti mesma e que os teus filhos não vão crescer ignorantes."

Agora, cada vez mais muçulmanos estão seguindo os seus passos, muitos deles usando o muito respeitado currículo Calvert para homeschoolers.

A tradução é livre e parcial mas podem ler o artigo na íntegra, em inglês, aqui.

Sem comentários: