Este blog partilha informação sobre o homeschooling e o unschooling - ensino doméstico ou educação domiciliar. Para navegarem o site, usem os links acima e, para os posts de 2011, o botão da pesquisa na barra direita. Facebook: Aprender Sem Escola Email: aprendersemescola@gmail.com

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Livro: A Doença da Escolaridade Obrigatória

















A Doença da Escolaridade Obrigatória: como as crianças absorvem valores fascistas, por Chris Shute

Este livro não é um livro escrito por um perito a fim de influenciar o pensamento de outros especialistas. É um livro baseado na experiência acumulada por um professor.

Digam o que disserem, as escolas estão a inculcar hábitos de subserviência na maioria dos jovens. E há argumentos sedutores para mantermos as crianças sob um controle estrito: torna-as mais fáceis de manusear, o que agrada os pais, enquanto que a sociedade em geral sente-se mais descansada, pois parece tornar mais segura e previsível a tarefa de tomar responsabilidade pela educação das crianças. No entanto, ao crescerem, muitos estudantes tornam-se taciturnos, anti-sociais e "filisteus"[1]. O processo parece ser satisfatório, mas os resultados são deploráveis.

Depois de 25 anos como professor, Chris Shute viu que estava envolvido numa forma microcósmica de fascismo. O livro demonstra como a escolaridade obrigatória, com seu imposto aparato de disciplina e controle, é perigosa para a saúde mental e o desenvolvimento social das crianças, e é de facto a causa de muitos problemas sociais que alega curar.

Shute tem a esperança de que um dia as crianças terão a possibilidade de utilizar as escolas como acha que estas deveriam ser usadas, como lugares onde qualquer pessoa que queira ajuda nos seus estudos possa recebê-la. Até então, Shute limita-se a comentar sobre as escolas tal como são actualmente, desafiando-nos a considerar a possibilidade de que o seu regime escraviza as mentes das crianças em vez de as libertar.

Fonte: aqui e aqui

[1] Wikipedia: Filistinismo é um termo pejorativo usado para descrever uma certa atitude ou conjunto de valores. Neste sentido, filisteu é a pessoa que despreza ou desvaloriza a arte, beleza, conteúdo intelectual ou os valores espirituais. São pessoas materialistas e a favor dos valores sociais convencionais, que assimilam sem pensar.

2 comentários:

Dalaiama disse...

Olá! :)
Olha, tu continuas a publicar coisas muito interessantes, todos os dias, é fantástico!
Algumas destas informações eu acho que mais pais deveriam saber e eu gostava de partilhar no facebook. Que tal tu acrescentares botões no rodapé de cada post com esse fim? É fácil fazer isso no blogger.
Claro, é só uma sugestão :)
Continuação de lucidez nessa mente que tu és LUZ!!!
Felicidades ;)

Paula disse...

Ainda não descobri como se faz para acrescentar os botões no rodapé de cada post, mas hei-de pesquisar ;)