Este blog partilha informação sobre o homeschooling e o unschooling - ensino doméstico ou educação domiciliar. Para navegarem o site, usem os links acima e, para os posts de 2011, o botão da pesquisa na barra direita. Facebook: Aprender Sem Escola Email: aprendersemescola@gmail.com

sábado, 31 de julho de 2010

Como passam os dias...

A minha amiga Caroline, que tem uma voz incrível, adora música brasileira, especialmente bossa-nova. De vez em quando, como ontem de manhã, aparece com o saxofone e passamos umas manhãs muito musicais.


A tarde foi passada a praticar aconselhamento psicológico - nem sei se já tinha mencionado esta minha faceta ou não... pois é, depois de ter passado uns tempos sem trabalhar nesta área para poder dedicar-me ao ensino doméstico (inicialmente estruturado, depois eclético, agora unschooling), resolvi recomeçar a oferecer sessões de counselling - just for the love of it!


A noite foi passada noutra sessão de cura pelo som (voz e taças de cristal) com Patrick Duff (já tinha falado sobre ele aqui). O meu interesse pelo poder curativo da música, revelado pelos livros que tenho ao lado do laptop, já tem pelo menos 20 anos... como o tempo passa depressa!

O filhote vai fazendo o mesmo que eu, seguindo os seus interesses à sua maneira. Já tem quase 17 anos e gosta muito da sua privacidade: acha que ninguém tem nada a ver com o que ele anda a aprender. Eu respeito a sua posição e por isso fico-me por aqui!

sexta-feira, 30 de julho de 2010

quinta-feira, 29 de julho de 2010

A energia vital do Universo

Uma tarde muito especial em que a minha amiga Jan, nutricionista e hipnoterapeuta, veio receber um tratamento de reiki.

Que mais? Ando a descobrir e a apreciar o trabalho de Alan Watts, que escreveu mais de 25 livros sobre temas como a natureza da realidade, do self, da consciência, da vida, etc.

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Unschooling no noticiário II

Quem precisa de livros didáticos e planos de aulas? Agora há muitos que dizem que são as crianças que devem decidir o que aprender e não os professores. Esta é a base de uma filosofia educacional conhecida como "unschooling", um movimento que está ganhando força.

Elias, de 7 anos de idade, e a irmã Sadie, 6 anos, são espertos, curiosos e cheios de vontade de aprender. Mas a aprendizagem deles não ocorre em salas de aula e não seguem um currículo pré-estabelecido. Em vez disso, aprendem tudo que querem aprender.

"Isso é a coisa mais linda, você pode ensinar as crianças a procurar a informação que querem, para que possam obter os conhecimentos que desejam", disse a mãe.

Tanto a mãe como o pai têm mestrados e acreditam no valor de uma boa educação. Mas têm uma filosofia diferente sobre a forma de obter essa educação. "Não temos nada contra livros e cadernos; o mais importante é a forma como as crianças melhor aprendem", disse a mãe.

Deixam os filhos decidir o que querem aprender, como querem aprender e quando querem aprender. A ideia é não forçá-los a aprender o que não querem.

Podem ler o artigo aqui e ver o vídeo aqui

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Noite musical de lua cheia

















A minha amiga Kathie, que começou a aprender música há 2 anos,















e a vista da janela...

domingo, 25 de julho de 2010

Unschooling continua a crescer

Virginia, EUA: São cada vez os pais que decidem educar os filhos em casa; alguns vão ainda mais longe e resolvem praticar o unschooling: os filhos brincam, comem e lêem quando querem. Nunca são punidos e ninguém lhes diz o que fazer.

Unschooler Joe Sullivan: "Quando você tem um sistema de dizer constantemente às pessoas o que fazer, como fazer e que é necessário fazer, você acaba por criar uma população sem a capacidade de decidir esse tipo de coisas elas mesmas, nem de fazer escolhas melhores no futuro."

Sua esposa Gleamer concorda: "Nós usávamos recompensas e castigos para manipular o comportamento de Riesling quando ela tinha quatro anos mas não resultavam." Foi então que Gleamer e Joe começaram a praticar o unschooling com os filhos.

Embora o unschooling ainda seja algo recente na Virgínia, o conceito começou na Inglaterra com a Summerhill School, estabelecida em 1921. Os unschoolers acreditam que as crianças nascem com uma ânsia enorme de aprender e que os adultos devem ajudá-las a aprender utilizando o método socrático.

Ler o artigo inteiro aqui.

sábado, 24 de julho de 2010

Pesquisa sobre o unschooling

Queridos pais,

A minha pesquisa é um Survey de Valores Ecológicos com relação às famílias que praticam o unschooling com crianças dos 8 aos 18 anos. A pesquisa é parte essencial da investigação de mestrado que estou a fazer na Universidade de Bath sobre o paralelismo entre o movimento de reforma Educação para um Desenvolvimento Sustentável e o Unschooling. A pesquisa é intitulada "Unschooling: Praticando o que a Educação para um Desenvolvimento Sustentável apregoa."

Em si, o inquérito é breve, consistindo de 16 afirmações que os vossos filhos diriam se concordam ou discordam. Todas as respostas e dados pessoais incluindo o nome, idade, sexo e e-mail permanecerão anónimos e confidenciais.

Se os vossos filhos estiverem dispostos a participar neste estudo, podem baixar o arquivo aqui, e enviar a resposta em anexo de e-mail para sullivanmassi@gmail.com.

Embora o inquérito em si não seja uma ferramenta perfeita para a avaliação dos valores ecológicos, foi usado num estudo importante sobre crianças que foram educadas convencionalmente permitindo assim a análise comparativa necessária para apoiar a minha hipótese.

Muito obrigado,
Martha Sullivan

sexta-feira, 23 de julho de 2010

Unschoolers no noticiário



Os miúdos não vão à escola - mas não é um caso de absentismo escolar. Há crianças que nunca foram à escola e nem sequer fazem o "ensino em casa" à moda tradicional. É um movimento conhecido como "unschooling".

Queríamos descobrir mais sobre esta modalidade de aprendizagem e uma família concordou partilhar a sua experiência.

Lisa e o marido Greg são pais de Zoe, de 13 anos, e Teagan, 9 anos. Lisa explica como começaram a praticar o "unschooling":

"Foi por causa da Zoe. Com 1 ano de idade já dizia 104 palavras e aos 3 anos já lia livros sozinha".

Os pais deixam os filhos decidir o que aprender, quando aprender e como aprender. São unschoolers "radicais", aplicando os princípios do unschooling, estabelecidos por John Holt, não só à aprendizagem mas a todas as áreas da vida.

Ler mais aqui.

quinta-feira, 22 de julho de 2010

quarta-feira, 21 de julho de 2010

terça-feira, 20 de julho de 2010

Revista: Educação fora da escola

Clicar no meio da imagem para ler em fullscreen

sábado, 17 de julho de 2010

Quem precisa de escola?

Patrick Duff nasceu em Bristol, Inglaterra, em 1966. Em vez de continuar na escola resolveu passar o tempo a tocar na rua.

I taught myself guitar and started playing and singing on the street for money when I was 17. I didn't know how to play anyone else's songs so I made up my own.


Passado uns anos tornou-se vocalista da banda de rock Strangelove. O resto podem ler aqui. Ele continua a viver em Bristol, onde frequentamos o mesmo grupo de sound healing. Podem ouvir a música dele aqui.


sexta-feira, 16 de julho de 2010

Festival da Educação em Casa

HESFES, o maior e mais antigo Festival do Ensino Doméstico do mundo está neste momento a decorrer perto de Tonbridge, sudeste de Londres (Kent, Inglaterra).

HESFES é frequentado por famílias que educam os filhos fora do sistema escolar e também pelas que optam pelo ensino tradicional. Tendas, tipis, caravanas, bicicletas, carros e pessoas que alugaram casas locais convergem para uma semana de workshops, jogos, espetáculos, seminários e reuniões formais e informais.

O evento atrai milhares de pessoas de todo o mundo e teve, consequentemente, de reduzir o número de participantes. Uma vez mais, como era de esperar, os bilhetes esgotaram com várias semanas de antecedência.

Este ano o foco da Conferência do Ensino Doméstico é a burocracia da União Europeia e as propostas de Graham Badman relativamente ao Ensino Domiciliar na Inglaterra.

Apesar dos dois últimos documentos parlamentares terem sido ignorados pelo governo anterior, muitas questões continuam por responder, especialmente o ataque às liberdades civis na regulação do ensino em casa.

Fonte

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Música, flores e focalização

Sabem que instrumento é este? Este amigo, que toca uma série de instrumentos, incluindo a concertina inglesa que vêem na foto acima, bem me quer persuadir a formar um grupo mas tenho andado ocupada.

O harmonium chegou e ando a familiarizar-me com ele, divertindo-me com a music for a found harmonium (pauta aqui). Além disso, também estou a organizar uma sessão de meditação musical. Entretanto, a redescoberta do meu passado barroco continua, com a música de Lully e Bach! E com este curso que ando a fazer, não há tempo para tudo....

Das flores que vimos, sei que a de baixo é um girassol;

as outras não sei como se chamam...

Para mim o que mais importa é o que sentimos e experienciamos, a vivência interior directa, não só emocional e conceptual mas também corporal.

Daqui chegamos à focalização, desenvolvida por Eugene T. Gendlin, filósofo e psicólogo americano, para chegar ao "Limiar do Pensamento" através da sabedoria do corpo. Já tinha experienciado este sistema há uns anos atrás e agora a oportunidade surgiu para explorar este método uma vez mais. Tanta coisa interessante para aprender!

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Por onde andámos: Stroud

Stroud é uma vila e freguesia do concelho de Gloucestershire, Inglaterra.

Situada abaixo da escarpa ocidental dos montes de Cotswold no ponto de encontro de 5 vales, é famosa pelas suas ruas íngremes e "cultura de café".

Cotswold, uma área de beleza natural, rodeia a cidade.

Stroud fica no centro de uma série de vilas e aldeias, incluindo Amberley, Bisley, Chalford, Dudbridge, Dursley, Minchinhampton, Nailsworth, Oakridge, Painswick, Sheepscombe, Slad, Stonehouse, Thrupp e Woodchester.

Muitos autores, artistas e actores famosos vivem em Stroud, como por exemplo o poeta Michael Horovitz, o escritor Alan Hollinghurst, o artista Damien Hirst, o actor William Moseley, das Crónicas de Nárnia,

a cantora de jazz Sade Adu, da banda Sade, e o cientista que descobriu as células estaminais embriónicas em 1981 e ganhou o Nobel de Fisiologia ou Medicina de 2007, Martin Evans. E o pai do meu filho também vive em Stroud, que fica mais ou menos a uns 50kms daqui.

terça-feira, 13 de julho de 2010

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Horta no quintal do amigo

Feijão verde

Corgetes

Mais corgetes

Ruibarbo (receita aqui)

Hortelã e rúcula

Tomateiros

domingo, 11 de julho de 2010

À espera do harmonium


Novidades musicais: encomendámos um harmónio! Deve chegar daqui a uns 3 dias. Pertence à família dos instrumentos de sopro porque o ar é insuflado com o auxílio de foles numa caixa de madeira. O fole é "alimentado" pela mão esquerda enquanto a direita dedilha geralmente a melodia. O harmonium é muito comum na India: é frequentemente usado no acompanhamento dos bhajans, qawwalis e shabads (cantos meditativos).

sábado, 10 de julho de 2010

Citações: Edward Gibbon

«Todo o homem recebe duas espécies de educação: a que lhe é dada pelos outros, e, muito mais importante, a que ele dá a si mesmo» Edward Gibbon

sexta-feira, 9 de julho de 2010

Redespertar da consciência musical

Esta foto foi tirada em 1991, há quase 20 anos!

Depois de 17 anos sem por as mãos num cravo dei comigo sentada a tocar este na casa da pessoa que o quer vender. Se quiserem comprar, cliquem aqui.

Entretanto, o pai do meu filho continua ocupado com a sua guitarra acústica.

Continua AQUI.

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Por onde andámos: St Nicholas Market

Dentro do St Nicholas Market, em Bristol, há um pequeno café /takeaway onde podemos saborear a comida tradicional portuguesa, como a feijoada, frango piri piri e ervilhas com bacon, linguiça e ovos.

Outras ofertas incluem almondegas e bacalhau com natas.

A minha amiga Sheila, uma psicoterapeuta fabulosa, escolheu filetes de peixe com arroz de tomate - foi a primeira vez que provou a comida portuguesa.

Eu escolhi carne guisada com arroz, batatas e salada. As amigas vegetarianas que me perdoem, porque eu ainda como carne 1 ou 2 vezes por semana; costumo dizer que sou 80% vegetariana!

Até bebi um sumol de laranja, coisa raríssima por estas bandas. E para sobremesa, pastéis de nata com canela, estavam uma delícia! No mercado também há uma lojinha portuguesa, é pequenina mas é melhor que nada!

quarta-feira, 7 de julho de 2010

O que andamos a cozinhar...

Salada de cuscuz com cenoura ralada, pimentos e especiarias tibetanas, pinhões e sementes de sésamo e girassol

terça-feira, 6 de julho de 2010

Ensino domiciliar, dislexia e horticultura

James Callicott, 15, é o designer de jardins mais jovem. Para ele, a jardinagem é mais que um hobby, e mais que a melhor carreira do mundo: tem-lhe ajudado a superar a dislexia e a aprender a ler.


"Eu tive imensas dificuldades por causa da minha dislexia; não sabia ler e por mais que tentasse as palavras simplesmente não faziam sentido."


"Saí da escola para ser educado em casa pela minha mãe mas continuei com problemas na aprendizagem até ao dia em que me deram uma cópia da revista Gardeners' World."


"Tinha motivação para ler porque queria saber como é que os jardins eram criados, por isso passava horas debruçado sobre as revistas - e, gradualmente, a minha leitura começou a melhorar."


"Agora, sinto imenso prazer ao ler e memorizar listas e listas de nomes de plantas. Adoro a jardinagem!"


Trecho retirado deste artigo publicado hoje no Guardian. As fotos foram tiradas no fim de semana passado durante uma visita ao Jardim Botânico da Universidade de Bristol.

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Cactos, cactos e mais cactos

Nunca tinha visto tantos cactos!

Aprendi que são aproximadamente 84 gêneros e 1.400 espécies!

E estas são apenas algumas amostras!

Bem bonitos, não acham?