Este blog partilha informação sobre o homeschooling e o unschooling - ensino doméstico ou educação domiciliar. Para navegarem o site, usem os links acima e, para os posts de 2011, o botão da pesquisa na barra direita. Facebook: Aprender Sem Escola Email: aprendersemescola@gmail.com

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Homeschooling na China

Com o crescente número de estrangeiros a deslocarem-se para a China, muitas famílias enfrentam decisões difíceis quanto à educação dos filhos. Enquanto algumas chegam a pagar 20 mil yuan (aprox. 3 mil dólares americanos) por mês a escolas internacionais devido às suas preocupações quanto às escolas locais, que ensinam unicamente na língua chinesa, um número cada vez maior de expatriados, como a americana Julie Johnson, estão-se voltando para uma terceira alternativa, o homeschooling.

Julie começou a ensinar Kaylen, a sua filha de 11 anos de idade, em Taiwan, antes da família ter ido viver para Pequim, há três anos. Seguindo um currículo americano on-line, Julie, que possui um mestrado em Literatura Chinesa, ensina tudo à filha, desde a matemática à geografia.

Homeschooling não significa ficar fechado em casa. Além das três horas de estudo, o horário da filha inclui aulas de ioga, natação, música e dança. Julie também leva a filha a viagens de estudo por toda a China, e acredita que esta é a melhor forma, e a mais interessante, de conhecer um país estrangeiro.

Juntamente com outros pais, Julie fundou a Rede dos Homeschoolers de Pequim, uma comunidade de famílias que partilham recursos e organizam actividades de grupo.

Continua aqui.

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Documentário: Escolarizar o Mundo



O que farias se quisesses mudar uma antiga cultura numa geração?
Mudarias a forma de educar os seus filhos.

O Governo dos E.U.A. sabia disto no século XIX, quando forçou as nativas crianças índias a frequentar as escolas públicas. Hoje, voluntários constroem escolas nas sociedades tradicionais de todo o mundo, convencidos de que a escola é a única forma de "melhorar" a vida das crianças indígenas.

Mas será que isso é mesmo verdade? O que é que realmente acontece quando substituímos a forma de aprender e compreender o mundo da cultura tradicional com a nossa? Escolarizar o Mundo investiga os efeitos da educação moderna nas últimas culturas indígenas do mundo.

"Um dia iremos olhar para trás e dizer:
Como é que poderíamos ter feito uma coisa destas?"

Fonte: Schooling the World

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Livro: The Teenage Liberation Handbook

Já vos tinha falado deste livro aqui e incluido uma citação neste post. Agora está disponivel online! Um verdadeiro achado!

The Teenage Liberation Handbook: How to Quit School and Get a Real Life and Education

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Entrevista sobre o unschooling


Dr Ricci ensina no Departamento de Educação da Universidade Nipissing, Canadá. Este professor universitário, que tenta incorporar o espírito do unschooling no seu trabalho, entrevistou a Dr. Kellie Rolstad durante a sétima Conferência Anual da AERO (Alternative Education Resource Organization), entre 24 e 27 de Junho de 2010 em Albany, NY.

Kellie Rolstad, doutorada em Educação, ensina na Universidade Estadual do Arizona. Seus interesses de investigação incluem o ensino domiciliar e a desescolarização radical - radical unschooling, em inglês.

domingo, 26 de setembro de 2010

sábado, 25 de setembro de 2010

Vídeo: Campanha pela Liberdade de Educação

Na Alemanha, a luta pela liberdade de educar os filhos fora do sistema escolar continua...

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Reportagem: grupos de homeschoolers

Crianças isoladas? Ora que disparate! Os homeschoolers juntam-se, reunem-se e aprendem em conjunto, como podem verificar nesta reportagem da CNN.


Outro mito é que as pessoas optam pelo ensino doméstico por razões religiosas, quando um dos principais motivos são as falhas do sistema de ensino.

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Apreciando o momento presente

"As crianças não têm passado, nem futuro, e coisa que nunca nos acontece, gozam o presente" - Jean de La Bruyère

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Razões para frequentar a escola

“Frequentar a maioria das escolas de hoje realmente traz o risco de prejudicar as crianças. Seja qual for o significado que a instrução possa ter tido no passado, para a maioria das crianças de nossa sociedade ela já não tem nenhum significado. A maioria dos alunos (e, por falar nisso, a maioria dos pais e professores) não é capaz de dar razões realmente convincentes para frequentar a escola.

As razões não podem ser discernidas na própria experiência escolar, nem as pessoas acreditam que aquilo que se aprende na escola será realmente utilizado no futuro. Tentem justificar a equação quadrática ou as guerras napoleónicas para um aluno de ensino médio de uma cidade do interior – ou para seus pais. O mundo real aparece em outro lugar: nos meios de comunicação, no mercado de trabalho, e com excessiva frequência no submundo das drogas, violência e crime. Muito, se não a maior parte, do que acontece nas escolas acontece porque é assim que acontecia nas gerações anteriores, não porque nós tenhamos bases lógicas convincentes para mantê-lo hoje. A afirmação muito comum de que a escola é basicamente um lugar de custódia em vez de educação contém um traço de verdade”.

Em “Inteligências Múltiplas: A teoria e a prática“, Howard Gardner

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Vídeo sobre o ensino domiciliar

Podem ver o programa, em espanhol, aqui - e verificar o que a maioria dos pais-educadores tem que tolerar!

domingo, 19 de setembro de 2010

A essência da focalização

Este fim de semana foi passado aprofundando a aprendizagem do processo da focalização com a Fiona Parr, em Bristol.

Focalização? O que é isso? Segundo Ann Weiser Cornell, autora do livro "O Poder da Focalização", trata-se de um processo de auto-conhecimento e cura emocional orientado pelo corpo.

É o processo de ouvir o nosso corpo de uma maneira carinhosa que tudo aceita, e de ouvir as mensagens que o nosso interior nos está enviando.

É um processo de honrar a sabedoria que temos dentro de nós, de nos tornarmos conscientes do nível sutil de sabedoria que fala conosco através do nosso corpo.

Os resultados de escutar o nosso corpo são: insights, libertação [de tensão] física e mudanças positivas na nossa vida.

Você entende-se melhor, sente-se melhor, e passa a agir de uma maneira mais conducente a criar a vida que realmente quer. "

O processo é fascinante e incrivelmente poderoso, algo que recomendo a todos! As fotos foram tiradas no intervalo para o almoço.

Continua AQUI.

sábado, 18 de setembro de 2010

Resposta à petição dos pais-educadores

A petição:

Nós, abaixo assinados, pedimos que o primeiro-ministro mantenha a posição de que os pais têm a responsabilidade primordial pela educação e desenvolvimento dos filhos, que não prejudique os pais que estão cumprindo de forma legítima os seus deveres fundamentais, e que parta do princípio que os pais fazem sempre o melhor pelos filhos, a não ser que haja provas concretas do contrário.

Em particular, o governo deve garantir: -

• que não haja direito de acesso à casa da família sem que haja evidências de crime;

• que não haja o direito de entrevistar as crianças sozinhas na ausência de evidência de que estão realmente correndo riscos;

• que não imponham aos pais o processo de checagem de antecedentes criminais para estes terem o direito de cuidar dos seus próprios filhos, ou de cuidar informalmente dos filhos de amigos, familiares, etc;

• que os pais não tenham de submeter-se a licenças e registos nem a avaliações e monitorizações dos métodos que usam no desempenho das suas funções sem que haja prova de que não as estão cumprindo, e com o reconhecimento específico de que a educação fora da escola é uma forma perfeitamente legal de cumprirem o seu dever em relação à educação dos filhos;

• que não se interfira com a noção de que quem está na melhor posição de determinar a forma de atender às necessidades dos filhos - de acordo com as suas idades, habilidades, aptidões, e eventuais necessidades especiais que possam ter- são os pais;

• um maior foco na aplicação dos recursos e procedimentos existentes nas crianças que se sabe estão realmente em risco, em vez de permitir que estes recursos sejam desperdiçados em monitorizações de rotina de seções inteiras da comunidade;

• conformidade com a fundamental presunção de inocência a não ser que existam provas específicas do contrário.

A resposta do governo

Os pais têm o dever de garantir que os filhos recebam uma educação adequada, e a educação em casa é uma alternativa bem estabelecida à escola que lhes permite cumprir esse dever. Quando os pais optam por educar os filhos em casa devem proporcionar-lhes uma educação adequada idade da criança, bem como às suas habilidades, aptidões e quaisquer necessidades educativas especiais que possam ter.

As diretrizes que definem a posição da legislação e o papel e responsabilidades das autarquias locais e dos pais em relação às crianças educadas em casa encontram-se disponíveis aqui.

O Governo respeita o direito que os pais têm de educar os seus filhos em casa e nós apreciamos as fortes convicções dos pais-educadores e das autoridades locais.

Original aqui.

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Ataque ao homeschooling na Bulgária

Grupos de defesa dos direitos da família dizem que o projeto-lei recomendado ao Parlamento da Bulgária, proposto pela Comissão da Educação da Bulgária em Julho, irá violar os direitos dos pais. A proposta altera a Lei da Educação Pública, baixando a idade da escolaridade obrigatória para os 5 anos e tornando obrigatória a frequência pré-escolar a tempo inteiro.

As crianças búlgaras seriam obrigadas a frequentar a escola durante 12 anos, até aos 16 anos de idade, e as crianças nascidas no final do ano civil teriam de frequentar a pré-escola aos 4 anos de idade. HSLDA lutou contra este tipo de proposta nos Estados Unidos por aumentar a intrusão do governo na família e porque pesquisas mostram que o melhor lugar para as crianças pequenas é em casa com um dos pais. Se estas propostas se tornarem lei os pais que escolhem a educação em casa correm o risco de um processo criminal.

O Ministro da Educação Sergei Ignatov avisou aos pais que a não-obediência é uma acção criminal, e que aqueles que não seguirem a lei serão severamente multados. Se os pais não forem capazes de pagar a multa serão submetidos a "trabalho socialmente útil". Ignatov afirma que reger a educação é um papel que cabe ao Estado. Como o governo búlgaro carece de fundos para financiar uma educação pública adequada, a Bulgária vai pedir ajuda financeira à UE. O Ministério dos Assuntos Sociais também obteve um empréstimo do Banco Mundial para financiar a execução do programa.

Certos cidadãos búlgaros e grupos de defesa dos direitos humanos consideram isto um passo para trás, rumo ao totalitarismo no sistema de educação da Bulgária. Duas décadas após a queda do comunismo, a Bulgária ainda não possui alternativas educacionais bem estabelecidas e continua sendo caracterizada pelo monopólio estatal da educação. No entanto, muitos pais optaram por formas de educação alternativas, como por exemplo escolas privadas ou a educação em casa, apesar destas serem consideradas fora da lei. Estas famílias estão se preparando para defender e lutar pela liberdade educacional.

Continua aqui.

Gostei e resolvi partilhar


Antonio Monteverdi (1567 † 1643)

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Dislexia: razão para educar em casa?

Do blogue La ópcion de educar en casa:

Este programa da rádio pública basca (EITB-Radio Euskadi) contém uma entrevista com uma especialista em dislexia que talvez vos possa interessar. A psicóloga Raquel Díaz de Tudanca explica como detectar e tratar a dislexia para evitar que estas crianças desenvolvam problemas de aprendizagem.

Podem ouvir aqui, em castelhano.

Premissa - a dislexia como motivo para deixar a escola: o facto das necessidades educativas especiais não serem resolvidas pelo sistema escolar como uma das principais razões para decidir educar as crianças em casa.

Deixo também o link para um artigo em espanhol sobre a experiência negativa da escola como razão para optar pelo homeschooling.

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Almoço vegetariano e música em Stroud

Depois de um delicioso almoço vegetariano

fui até Stroud onde, pela primeira vez na vida, I went busking!

Deixo-vos duas fotos da cidade,

para ficarem com uma ideia...


Entretanto, aqui na Inglaterra, começa a fase dos piqueniques do não-regresso à escola.

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Dia Internacional da Liberdade de Educação


Caros amigos do ensino doméstico e da liberdade na educação,

O 4 º Dia Internacional da Liberdade de Educação (DILE) na Europa terá lugar no dia 15 de Setembro. O foco das actividades vai ser na terça-feira, 15 de Setembro de 2010. Outros eventos acontecerão durante a semana em muitos países do mundo.

O objectivo do DILE é promover a importância da liberdade de escolha do tipo de educação que queremos dar aos nossos filhos e divulgar informações sobre as formas alternativas de aprendizagem que se encontram disponíveis ou cuja existência estamos tentando proteger.

Liberdade de escolha no âmbito da educação é importante, e nós convidamos todos os movimentos educativos alternativos, todas as organizações dedicadas à aprendizagem, escolas e, naturalmente, os pais e filhos, a participarem neste evento mundial.

Iremos publicar neste site todas as informações e / ou links para os eventos da semana (conferências, encontros, feiras da educação, etc), onde quer que ocorram e em todos os idiomas. Enviem-nos por favor informação sobre os eventos que vão organisar.

Alguns exemplos de eventos passados incluem piqueniques e mesinhas com informação, debates em cafés na França, uma demonstração sobre a liberdade de educação na Suécia, uma conferência sobre o ensino doméstico na Escócia, um passeio para famílias-educadoras na Califórnia, e uma palestra & debate sobre a liberdade de educação na Áustria.

O DILE foi originalmente estabelecido por homeschoolers, o que em si já inclui uma grande variedade de abordagens em relação à educação e a métodos de aprendizagem. O ensino doméstico é legal mas não é muito conhecido na maioria dos países, e encontra-se sob constante ataque por parte daqueles que pensam que apenas o Estado deve decidir o conteúdo e o local de aprendizagem das crianças, ou seja, o que elas devem aprender e onde devem aprender.

Então, por favor, informem-nos sobre os eventos que irão organisar, mesmo que vos pareçam pequenos! Juntos seremos muitos!

Por favor, não hesitem em difundir a informação sobre o DILE.
Queremos que esta mensagem chegue a todos os cantos do planeta!
Mais aqui.

domingo, 12 de setembro de 2010

Comunicação Não-Violenta

Este fim de semana foi passado aprofundando a aprendizagem do processo da Comunicação Não-Violenta (CNV).

Mais especificamente, a praticar formas de lidar com a raiva, nossa e dos outros, de uma maneira compassiva.

Este processo da CNV envolve aprender a conectar com o nosso mundo interior - o que estamos sentindo no corpo? que emoções estamos sentindo? que histórias estamos formulando a partir daquilo que vemos e ouvimos?

Só podemos ser verdadeiramente autênticos depois de experienciarmos e comunicarmos a nossa verdade, com a intenção de fortalecer a nossa conexão com os outros, oferecendo empatia e tentando captar as necessidades humanas que motivam as intervenções dos outros sem fazer quaisquer julgamentos de valor.

As fotos foram tiradas à hora do almoço. Mais informação sobre a CNV aqui.

sábado, 11 de setembro de 2010

Outro ataque ao homeschooling

Na sequência deste post, hoje não trago boas notícias:

A decisão de um juiz em Botswana, um país da África Austral, deve alertar-nos contra possíveis violações das liberdades individuais devido à influência das Nações Unidas. Quatro famílias em Botsuana foram judicialmente ordenadas a deixar de educar os filhos em casa e enviá-los para a escola pública.

A decisão surgiu na sequência de Botswana ter aderido à Convenção das Nações Unidas sobre os Direitos da Criança. Apesar do juiz ter verificado que as crianças eram bem cuidadas e devidamente educadas, o tribunal decidiu que o melhor para as crianças era serem criadas e educadas pelo Estado. Continua aqui.

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Revista: Educação fora da escola II

Clicar na imagem para ler a revista em fullscreen.

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Interrogados pela polícia secreta

Quatro famílias que residem em Botswana enfrentam um futuro incerto devido a um impasse cada vez mais tenso sobre a questão do homeschooling. As famílias ensinam os filhos em casa por causa de suas convicções religiosas e filosóficas. Apesar das suas sinceras crenças religiosas e apesar dos tribunais não terem conseguido encontrar quaisquer problemas sociais ou educacionais nas crianças, foram ordenadas a matricular os filhos na escola pública e ameaçadas de consequências desconhecidas se o não fizerem.

Usando a Convenção sobre os Direitos da Criança (abre vídeo) adoptada pela Assembleia Geral nas Nações Unidas como pretexto, um juiz do Botswana irá decidir o seu destino amanhã. Os advogados da família estão buscando urgentemente um interdito para que o tribunal não possa agir contra esta família. HSLDA está pedindo a vossa ajuda.

Mais aqui.

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Tai Chi: A Via Natural

"A Via Natural" é o nome da escola de Tai Chi que o Alan fundou. Durante vinte e tal anos deu aulas no 1º andar do edifício mais alto da foto abaixo.

As aulas de Tai Chi continuam. Ontem fui até lá e hoje resolvi partilhar os pensamentos do Alan sobre o primeiro princípio do Tai Chi.

"O princípio fundamental do Tai Chi é o relaxamento. Até certo ponto podemos tentar relaxar concentrando-nos no corpo físico e abandonando a tensão que experienciamos nos músculos, e isso é muito benéfico. No entanto, é útil perceber que o "tentar" cria uma certa tensão na mente.

A verdade é que não podemos "tentar" relaxar porque esse simples esforço impedirá experiências mais profundas. Por trás da ideia de conseguir alcançar o relaxamento está a crença de que o relaxamento é algo que precisamos buscar "lá fora", a crença de que estamos separados da coisa que tanto desejamos e que temos de nos esforçar para adquiri-la.

Em contraste, o relaxamento profundo vem da aceitação do estado em que estamos, de deixar que a sensação de "ausência de esforço" se manifeste naturalmente. Em certo sentido, podemos relaxar o esforço da nossa tentativa de relaxar. O estado mental relaxado não é artificial nem inventado. Não existe nenhuma técnica ou método, excepto o abandono de qualquer esforço ou apego ao modo como achamos que as coisas deveriam ser.

A mente é capaz de se expandir, deixar ir e tornar-se espaçosa. Lembrando-vos disto, reservem algum tempo para deixar que a mente relaxe. Experiências de profundo relaxamento mental tornam o processo de relaxar o corpo e activar o chi muito mais fácil."

Fiquei a pensar: qual será o efeito do "tentar" aprender? Qual será o efeito do esforço de memorizar e regurgitar factos? Será que a "tentativa" de aprender acaba bloqueando experiências mais profundas? Será que o efeito da crença de que a aprendizagem é algo "lá fora", de que estamos separados da coisa que tanto desejamos saber, de que temos de nos esforçar para obter o conhecimento acaba bloqueando o acesso à inata sabedoria interior?

terça-feira, 7 de setembro de 2010

Macieiras e focalização

A caminho de Claverham, no sudoeste da Inglaterra


onde participei num dia dedicado à aprendizagem da focalização, um tipo de psicoterapia experiencial

que surgiu da colaboração entre Carl Rogers e Eugene Gendlin.

Depois do almoço a intensidade do felt-sense no estômago era tal

que tive de dar ir uma volta e apanhar ar fresco ;-)

Oportunidade maravilhosa de apreciar a beleza natural

das macieiras escondidas na parte de trás da quinta...

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

A partilha da abóbora






Ontem à tarde...

domingo, 5 de setembro de 2010

Homeschooling continua a aumentar!

Este Outono, enquanto mães e pais de todo o país estão enchendo mochilas com lápis e cadernos, tesouras e colas, preparando-as para serem levadas pelos filhos para a escola, um número cada vez maior de famílias estão enviando os seus filhos ... para lugar nenhum.

Em vez de os levar para a escola, estão decidindo educar os filhos em casa. De facto, as estatísticas mostram que nos EUA o número de alunos no ensino domiciliar quase que dobrou nos últimos 10 anos, tornando a aprendizagem em casa a modalidade de educação de crescimento mais rápido no país.

"O homeschooling... [teve] um aumento relativo de 74% ao longo de 8 anos", afirma o Dr. Brian D. Ray, do National Home Education Research Institute.

Continua aqui.

sábado, 4 de setembro de 2010

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Prós e contras do homeschooling

Educação sim, mas não necessariamente na escola: alguns pais estão educando os filhos em casa. Estima-se que em Genebra centenas de crianças são educadas em casa. Mas será bom para as crianças, tanto do ponto de vista acadêmico como da perspectiva da socialização?

Entrevista com Beatriz Zumsteg, que trabalha no Departamento de Educação da Universidade de Zurique e não é a favor da ideia, e Joan Moy, representante da Associação do Ensino Domiciliar da Suíça. Ouvir aqui.

E aqui podem ler outro artigo sobre o unschooling.
Deixo-vos o último parágrafo:

"Nós vivemos no mundo real e todos os dias conversamos com pessoas de todas as idades e religiões. Nós aprendemos sobre muitos empregos diferentes, porque onde quer que vamos vemos pessoas a trabalhar. Questionamos tudo, porque queremos e podemos. Não fazemos as coisas que todo o mundo faz apenas porque toda a gente as faz. Nós fazemos o que achamos bem e nos faz sentir felizes. Somos pessoas felizes, e adoramos estar com a nossa família todos os dias - vivendo, aprendendo, crescendo. "

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Fotos recentes

Ontem: momentos musicais noutro dia de retiro e meditação.

Hoje: o pão de 3 sementes e os biscoitos caseiros que me deram em troca de uma sessão de reiki.

Anteontem: trilhas químicas?

Vídeo: regresso à escola em casa

Ensino doméstico incluido num programa sobre o regresso à escola: o vídeo pode ser visto aqui mas não sei se estará disponivel por muito tempo. Eis a introdução:

Crianças de todas as regiões estão a regressar à escola, mas um número cada vez maior não. Não existem registros sobre o número de crianças educadas em casa no Reino Unido, mas pensa-se que sejam entre os 20 e os 40 mil. Na segunda parte da nossa série "Regresso à Escola" perguntamos aos pais e aos filhos porque optaram por esta alternativa.

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

As vantagens do homeschooling

O homeschooling é uma maneira óptima de educar as crianças entre os 3 e os 18 anos de idade. Antes do governo ter tornado obrigatória a frequência escolar para os cidadãos e residentes durante o século XIX, as crianças eram rotineiramente educadas em casa pelos pais ou por tutores contratados pelos pais.

Durante a segunda metade do século XX e todo o século XXI, cada vez mais famílias se voltaram para o homeschooling para escapar a loucura que experienciaram nos seus contactos com o sistema de ensino público. O homeschooling tem muitas vantagens e muitas delas serão descritas aqui neste artigo.