Este blog partilha informação sobre o homeschooling e o unschooling - ensino doméstico ou educação domiciliar. Para navegarem o site, usem os links acima e, para os posts de 2011, o botão da pesquisa na barra direita. Facebook: Aprender Sem Escola Email: aprendersemescola@gmail.com

sábado, 5 de março de 2011

Ensino doméstico: o medo do desconhecido

Muitas pessoas gostariam de educar os filhos fora do sistema escolar, adorariam praticar o ensino domiciliar ou o unschooling, mas não o fazem porque têm medo...

Os medos são muitos: medo do desconhecido, de seguir o "caminho menos trilhado", da crítica alheia, do que os outros vão pensar, de não estar à altura, de não ser capaz de proporcionar a melhor educação possível aos filhos, das autoridades e, no Brasil, medo de ser denunciado e enfrentar a "Justiça".

Os pais que optam por esta via são geralmente pessoas excepcionais, capazes de lidar com os medos que inevitavelmente nos visitam de quando em quando. Como alguém disse, coragem não significa não ter medo, mas enfrentá-los e seguir em frente.

Afinal o que é o medo? O medo é o desconforto físico e emocional que sentimos relativamente a algo, conhecido ou desconhecido, que acreditamos não ter a capacidade de enfrentar. Exageramos as qualidades negativas daquilo que tememos e convencemo-nos que não somos capazes de controlar ou lidar com a situação. Focalizamos então naquilo que receamos com esta perspectiva, que pode estar correta ou incorreta.

Continua...

Para refletir
Quais são os teus medos relativamente ao ensino doméstico?

2 comentários:

ESpeCiaLmente GaSPaS disse...

De não conseguir ensinar-lhe o suficiente para ele evoluir.

Ma olhando para o que lhe tenho ensinado até agora estou satisfeita. Tem 24 meses e apesar de estar muito isolado comigo em casa quando sai é bastante dado com as pessoas e muito comunicativo...

Paula disse...

Quando temos a coragem de sentir o medo e apesar disso continuar seguindo em frente em direção aos nossos sonhos, acabamos sempre por chegar a uma altura em que, olhando para trás, sorrimos e nos comovemos com a perfeição do percurso...