Este blog partilha informação sobre o homeschooling e o unschooling - ensino doméstico ou educação domiciliar. Para navegarem o site, usem os links acima e, para os posts de 2011, o botão da pesquisa na barra direita. Facebook: Aprender Sem Escola Email: aprendersemescola@gmail.com

domingo, 27 de novembro de 2011

Investigando o homeschooling



Sabiam que alguns dos presidentes e inventores mais famosos foram educados em casa? Abe Lincoln, George Washington e Albert Einstein, todos eles aprenderam em casa.

Hoje investigamos o ensino domiciliar em Taylor, Wisconsin. O que leva os pais a optar por este caminho e como superam certos estereótipos.

Joyce Moldenhauer e o seu marido decidiram educar os três filhos em casa em 1995: "As nossas razões principais foram o desejo de estarmos envolvidos na educação dos nossos filhos e vê-los crescer e aprender academicamente, em casa, que para nós é um privilégio", diz Joyce.

Naquela altura a família estava morando no Alasca, um Estado onde é fácil fazer o ensino doméstico. Ela diz que os dois filhos mais velhos, Josias, que está agora na faculdade, e Zachary, que agora frequenta a escola, ambos fizeram a transição para a escola pública por volta da sétima ou oitava série.

"Embora fizessem o ensino domiciliar, podiam frequentar uma ou duas aulas na escola, por isso Josias participava na banda, na educação fisica, e no curso de informática", explica Joyce.

Para Zachary, este é o segundo ano que frequenta a escola. Mas apesar da escolha de ir para a escola ter sido sua, os ajustes foram muitos:"Era muito diferente, ter um armário, e cinco professores diferentes em vez de um. Sim, foi realmente diferente".

Mas Maria, a irmã mais nova, diz que quer continuar a ser educada em casa, com os DVDs da Academia Beka: "Sim, se calhar, quando for mais velha, talvez na nona série, mas por enquanto prefiro continuar no ensino domiciliar", diz ela.

(...)

Socialização é outro tema muito disputado no homeschooling. As crianças educadas em casa passam tempo suficiente com outras crianças? Conselheiro Burich Holle diz que o argumento é essencialmente um mito: "Eu considero isso um estereótipo. Eu vejo realmente que normalmente a maioria das crianças no ensino doméstico estão muito envolvidas em atividades extra curriculares e que são muito bem ajustadas", diz Burich Holle.

E Joyce diz que é isso que ela realmente quer para os filhos, e pelos vistos eles gostaram tanto do seu passado aprendendo em casa como do seu presente frequentando a escola.

"Eu gostei de aprender em casa, tive o melhor dos dois mundos", diz Zachary sobre a sua experiência.

Segundo o Departamento de Instrução Pública de Wisconsin, appoximadamente 20.000 estudantes foram educados em casa no ano lectivo de 2010/2011.

Visualizar o original aqui.

Sem comentários: