Este blog partilha informação sobre o homeschooling e o unschooling - ensino doméstico ou educação domiciliar. Para navegarem o site, usem os links acima e, para os posts de 2011, o botão da pesquisa na barra direita. Facebook: Aprender Sem Escola Email: aprendersemescola@gmail.com

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Conclusões do II Congresso Nacional sobre Educação em Família

A Universidade de Navarra partilha as conclusões do II Congresso Nacional sobre Educação em Família. Podem fazer o download aqui.

CONCLUSÕES

1. O ponto de partida necessário é o de que a liberdade de escolher o tipo de educação a dar aos filhos pertence às famílias. Entre os vários tipos de educação, o ensino doméstico é uma opção válida que deve ser reconhecida na Espanha, uma vez que a falta de reconhecimento legal gera incerteza jurídica e, consequentemente, uma falta de normalização.

2. A solução para esta situação tem que ser um objectivo político, de modo que a legislação reconheça uma realidade que já existe e que não é contrária à Constituição Espanhola. Só assim poderemos garantir a tranquilidade na vida das famílias que optam pelo ensino domiciliar e que afeta tanto os pais como os filhos.

3. Necessitamos de estudos sólidos, tanto de acadêmicos como de outros profissionais, do ponto de vista pedagógico, jurídico, sociológico e psicológico, sobre o ensino domiciliar como modalidade de educação. Exemplos de outros países demonstram isto.

4. A grande diversidade do homeschooling na Espanha representa um elemento inovador e enriquecedor dentro do atual panorama educativo.

5. A associação das famílias que optam pelo ensino doméstico permite realizar propostas que fazem um apanhado desta diversidade e ajuda a mitigar possíveis efeitos indesejáveis ​​causados ​​pela falta de reconhecimento do ensino domiciliar.

6. Como opção intermediária entre a educação em casa e a escolaridade a tempo inteiro existem iniciativas para a flexibilização da escola, tanto quanto ao conteúdo curricular como em termos de tempo e horários. Essa flexibilidade poderia permitir uma maior liberdade às famílias que voluntariamente concordassem fazer este tipo de escolaridade com a direção do centro escolar.

7. Hoje em dia podemos adquirir conhecimento por muitas vias, especialmente através do uso das tecnologias da informação e comunicação (TIC). O papel do educador estará mais orientado a selecionar e promover o conhecimento do que a transmiti-lo.

8. Quer se trate de educação em casa ou na escola, é de extrema importância que as pessoas que ensinam sejam capazes de compreender as necessidades e potencialidades de cada criança a seu cargo para que sejam utilizados os interesses da criança, e não apenas os interesses pré-determinados de um sistema educacional que está evidentemente numa fase de necessidade de revisão.

9. Está demonstrado que o envolvimento das famílias no processo educacional dos filhos é benéfico para a aprendizagem e para o desenvolvimento de competências. As famílias deviam ter apoio adequado para obterem uma adequada orientação acadêmica, pedagógica e tecnológica para facilitar uma melhor utilização das muitas ferramentas e recursos atualmente disponíveis.

10. O homeschooling, as propostas sobre a flexi-escola e outras pedagogias inovadoras trazem elementos de interesse para o debate sobre a melhoria do sistema de educação em geral. Podem ser uma oportunidade para que o governo torne o sistema mais flexivel, contando com uma participação mais efetiva de todos os organismos envolvidos na educação.

Pamplona, ​​02 de Dezembro de 2011
Carme Urpí (Presidente)
Mª Ángeles Sotés (Coordenadora)

Sem comentários: